30/04/2020 às 22h59min - Atualizada em 30/04/2020 às 22h59min

Vereadora de Presidente Kennedy conduzida a PF diz que foi vítima de armação

Da Redação
(Foto: reprodução)

A vereadora Mirian Jesus de Faria(DEM), a Mirian de Baldo, afirmou que foi vítima de “armação política” nesta quinta-feira(30), após ser encaminhada para a Polícia Federal de Cachoeiro por supostamente receber uma encomenda dos Correios contendo cédulas de dinheiro falsas.

Em um áudio que a redação do Kennedy em Dia teve acesso, Mirian afirmou que erroneamente recebeu um envelope contendo 1 mil reais em dinheiro falso, sendo as cédulas de 20 reais.

“Foi uma armação. Eu sabia que a política esse ano seria um pouco pesada, mas eu não imaginaria que pessoas desceriam um nível tão baixo”, afirmou a vereadora.

Ela disse ainda que havia comprado um sapato pela internet e acabou recebendo um envelope. “Não foi o que eu estava esperando. Veio um envelope e eu estava esperando um tênis”.

No áudio a vereadora afirma que a sua encomenda real teria origem do estado de Goiás e a encomenda probida teve como origem a cidade de Guaçuí, no caparaó capixaba. 

As investigações iniciaram quando o scanner dos Correios apontou um envelope suspeito e a estatal acionou a Polícia Civil que prosseguiu com as investigações para descobrir o destinatário do material ilícito.

Hoje, no período da manhã, uma assessora da vereadora retirou a encomenda nos Correios e logo foi indagada pelo policiais sobre o conteúdo da embalagem. De pronto a assessora informou que apenas foi pegar a encomenda a pedido da vereadora e a vereadora informou aos policiais que aquela não era a sua aquisição.

Para prestar esclarecimentos a vereadora, a assessora e mais duas pessoas foram conduzidas para a delegacia da PF que cuida de crimes de moeda falsa.

Após serem ouvidos, os quatro encaminhados foram liberados e a Polícia Federal agora irá prosseguir com as investigações para descobrir à origem e esclarecer qual é o real destinatário do dinheiro falso que poderia circular no mercado.

Em nota a Polícia Federal informou que não pode confirmar os dados demandados no momento e que as investigações prosseguem.


Notícias Relacionadas »
Comentários »
WhatsApp
Atendimento
Fale conosco pelo Whatsapp