20/01/2015 às 17h30min - Atualizada em 20/01/2015 às 17h30min

Carreta com produto químico tomba e interdita a BR-101, no ES

Condutor saiu ileso, mas precisou de cuidados para não se contaminar. Acidente aconteceu no km 444, em Mimoso do Sul.

G1

Uma carreta transportando o produto químico bissulfito de sódio, que é usado na indústria alimentícia, tombou no km 444 da BR 101, no trecho de Mimoso do Sul, no Espírito Santo. A rodovia foi interditada próximo ao posto JR, segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF). O condutor saiu ileso, mas precisou tomar banho para não ser contaminado pelo produto. A carreta trasportava 92 barris de bissulfito de sódio, com 200 litros cada
O motorista perdeu o controle do veículo e tombou no acostamento, segundo Eco 101, concessionária que administra a rodovia. Testemunhas disseram que pessoas que entraram em contato com o produto químico passaram mal.
O Instituto Estadual de Meio Ambiente (Iema) foi para o local para isolar a região e analisar se há perigo de contaminação do solo e de mananciais. Ainda não existe previsão de horário para liberação da pista.

 

Alternativas 
Para fugir do local do acidente, os motoristas que pretendem seguir em direção ao Rio de Janeiro devem entrar em Cachoeiro de Itapemirim, por Safra, seguir por Muqui, Mimoso do Sul e sair no trevo que dá acesso ao município.
Outra opção é entrar no trevo que dá acesso para Atílio Vivácqua e seguir o mesmo percurso por Muqui e Mimoso. Os motoristas também podem seguir pelo trevo que dá acesso à Presidente Kennedy  e pegar o litoral até a divisa com o Rio de Janeiro.
O congestionamento no trecho foi de 3 Km em cada sentido.

 

Bissulfito de sódio
Bissulfito de sódio é usado para preservar a cor e inibir o crescimento bacteriano em frutas e vegetais, alguns frutos do mar e no vinho. É frequentemente usado como agente de branqueamento de farinha e grãos, e, como um condicionador de massa para melhorar a ascensão e preservar o frescor do pão.
Em contato com as pessoas, o produto, em pó ou granulado, pode causar irritação aos olhos, na pele e no sistema respiratório. O contato prolongado com a pele pode destruí-la. Pode causar urticária, angioedema e crises de asma em exposições prolongadas.
No ambiente pode contaminar o curso de água, e em grande concentração, pode torna-lá imprópria para uso.


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
WhatsApp
Atendimento
Fale conosco pelo Whatsapp