16/12/2014 às 23h06min - Atualizada em 16/12/2014 às 23h06min

Manifestantes realizam 'faxinaço' simbólico na frente da sede da Petrobras em Vitória

Eles ocuparam a escadaria no prédio da estatal e, de maneira simbólica, realizaram uma faxina no local, utilizando baldes, vassouras, pano de chão, água sanitária e outros materiais

Folha Vitória

Uma manifestação pacífica chamou a atenção de quem passou pela Reta da Penha, em Vitória, no final da tarde desta terça-feira (16). Centenas de pessoas participaram de um "faxinaço" em frente à sede da Petrobras na capital capixaba.

O protesto começou por volta das 17h20 e durou cerca de duas horas. Os manifestantes ocuparam a escadaria no prédio da estatal e, de maneira simbólica, realizaram uma faxina no local, utilizando baldes, vassouras, pano de chão, água sanitária e outros materiais de limpeza.

Muitos pintaram o rosto de verde e amarelo e levaram faixas e cartazes com frases contra os atos de corrupção que vêm sendo descobertos pela operação Lava Jato, da Polícia Federal. Em alguns momentos, os manifestantes invadiam a pista, mas não chegaram a bloquear o trânsito.

Além de Vitória, a manifestação foi realizada nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Recife, Brasília e Houston, nos Estados Unidos. Uma das organizadoras do movimento na capital capixaba é a ex-deputada federal Rita Camata (PSDB). Ela ressaltou a importância desse tipo de protesto para manifestar a revolta da população com o escândalo na Petrobras.

"Fizemos o nosso dever. Lavamos a empresa de forma simbólica e pedimos para a atual diretoria entregar o cargo. Cada dia presenciamos uma nova denúncia. O Brasil não pode continuar sendo comandado por pessoas inescrupulosas e despreparadas", protestou.

Rita destacou ainda a boa adesão das pessoas ao movimento. "Tivemos um número expressivo de pessoas para uma terça-feira à tarde. Participaram do movimento empresários, médicos, professores, donas de casa, estudantes, jovens, crianças e muitas outras pessoas. 
 

Petroleiros
Por meio de nota, o Sindicato dos Petroleiros do Espírito Santo (Sindipetro-ES) disse que considera legítima a manifestação, "organizada por um grupo que se intitula representante da sociedade civil capixaba". O sindicato, no entanto, diz haver "uma generalização excessiva e quase desrespeitosa com a categoria petroleira".

O Sindipetro destaca ainda que as investigações da Polícia Federal indicam que os possíveis crimes de corrupção estão localizados na alta cúpula da Petrobras. "Sendo assim, temos que ter cuidado ao apontar os culpados", alerta. 

A entidade destacou ainda que a categoria petroleira sempre apoiou e continua apoiando o combate à corrupção, que o sindicato se refere como "um mal que assola o País há muitas décadas". 

"Defendemos a democratização da gestão da Petrobras como um dos instrumentos capazes de contribuir com a regulação e o controle dos recursos públicos", finaliza o Sindipetro.


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
WhatsApp
Atendimento
Fale conosco pelo Whatsapp