16/01/2018 às 09h02min - Atualizada em 16/01/2018 às 09h02min

Idosa feita refém em casa relata tensão: 'colocou arma na minha cabeça'

Maria de Lourdes Mendes, de 72 anos, ficou mais de cinco horas refém de dois criminosos nesta segunda-feira (15). Eles invadiram o quarto da idosa depois de roubar uma padaria.

G1 ES
Idosa contou que viveu momentos de tensão enquanto foi feita refém pelos criminosos (Foto: Manoel Neto/ TV Gazeta)

 

A aposentada de 72 anos, que ficou mais de cinco horas refém de dois criminosos, contou que viveu momentos de tensão nesta segunda-feira (15).

“Eu fiquei morrendo de medo, eu pensei: ‘meu Deus do céu, se esse homem me matar agora, sou eu e Deus”, disse Maria de Lourdes Mendes.

Maria estava sentada ainda na beira da cama, quando um dos criminosos invadiu o quarto, por volta das 7h30. O outro ficou conversando com os policiais e vendo a movimentação do lado de fora da casa.

“Eu estava sentada, ele mandou eu levantar, eu levantei. Ele já foi e já colocou a arma na minha cabeça”, contou.

Foram mais de cinco horas refém de dois homens dentro da própria casa, que fica no bairro Boa Sorte, em Cariacica. Eles tinham acabado de assaltar a padaria, que fica ao lado da residência. Um cerco foi montado pela polícia.

“Ele ia lá e voltava aqui, ia na escada e conversava com o policial lá embaixo. O policial conversava com ele. O tempo todo era assim”, lembrou a aposentada.

Do lado de fora da casa, o marido dela, o aposentado Oswair Moreira, viveu momentos de angústia e medo.

Ele é casado com Maria há 49 anos e tem três filhos e seis netos com ela. Oswair estava em casa no momento em que os criminosos entraram, mas ele achou que fosse o filho do casal que tinha saído para comprar pão.

“Eu abri a porta a polícia já veio botando a arma e eu falei: ‘mas eu sou o dono da casa’, e eles falaram: ‘tem bandido aí dentro?’, e eu disse: ‘não sei, eu deixei a porta aberta e agora está fechada’. Então eles mandaram eu sair”, disse.

Depois de negociar com a polícia, os criminosos se renderam e Maria de Lourdes foi libertada. À noite, os familiares e amigos visitaram a aposentada. E Maria só pensou durante o tempo do sequestro em ficar com a família.

“Quero que Deus abençoe a nós todos, que guarde nós e não deixe isso nunca mais acontecer, porque Deus me livre, passa muito aperto”, completou Maria.

 


Notícias Relacionadas »
Comentários »
WhatsApp
Atendimento
Fale conosco pelo Whatsapp