03/01/2015 às 17h43min - Atualizada em 03/01/2015 às 17h43min

Santos tem telefone cortado, falta de salário e dívida até com floricultura

UOL

O Santos iniciou o ano de 2015 sem nenhum dinheiro em caixa. A crise do clube não tem limites. O UOL Esporte apurou que o alvinegro praiano está com o telefones dos funcionários cortados por falta de pagamento. A antiga diretoria deve R$ 12 mil a uma operadora de celular.

O presidente Modesto Roma e companhia precisam pagar a dívida para que os funcionários voltem a fazer ligações.

A falta de dinheiro também voltou a afetar os funcionários do clube, que não receberam o ordenado de dezembro, o 13º salário e férias.

Se não bastasse, o Santos deve dinheiro até para uma floricultura da cidade. A dívida chega a quase R$ 2 mil. O clube tinha um acordo com a empresa para comprar coroas e flores para homenagens prestadas, mas não pagou as últimas compras efetuadas.

O presidente Modesto Roma deve viajar com dinheiro do próprio bolso para Lins, interior de São Paulo, onde acompanhará a estreia do time na Copa São Paulo de Futebol Júnior.

Os jogadores também seguem com os salários atrasados. Até Leandro Damião, que foi emprestado ao Cruzeiro, não recebe há três meses no clube. Além dos dois meses de CLT (Consolidação das Leis de Trabalho), o Santos deve mais três meses de direitos de imagem (maior parte), além de 13º e férias. A crise financeira se arrastou por toda a temporada. Dos 12 meses do ano, o clube atrasou os direitos de imagem em dez.

O presidente eleito Modesto Roma quer aproveitar a possível renovação do patrocínio máster com a Huawei por mais um ano, encaminhada pela diretoria de Odílio Rodrigues, para amenizar o problema de salários atrasados.

A renovação com a empresa chinesa depende apenas da assinatura contratual. A Huawei está disposta a pagar R$ 18 milhões para seguir estampando sua marca no espaço nobre da camisa do Santos.  

A nova diretoria pretende antecipar 30% ou 40% dos R$ 18 milhões para resolver o problema dos salários atrasados.

A falta de parceiros foi um dos motivos para acarretar a crise financeira do clube. Antes de assinar com a empresa chinesa em outubro deste ano, o Santos não contava com um patrocinador máster em sua camisa desde o fim do vínculo com o banco BMG, no início de 2013.

O clube negociou com diversas empresas, entre elas a Caixa, mas os acordos não vingaram. No período, ocorreram apenas parcerias pontuais.

Além da Huawei, o Santos conta com outros dois patrocinadores em sua camisa. A escola de idiomas CNA estampa seu nome no ombro, enquanto a fabricante de tubos e conexões Corr Plastik ocupa as mangas do uniforme.


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
WhatsApp
Atendimento
Fale conosco pelo Whatsapp