24/11/2021 às 15h27min - Atualizada em 24/11/2021 às 15h27min

Pai que matou o filho a facadas na Serra agiu em legítima defesa, conclui polícia

O homem, que é motorista de caminhão, se entregou à polícia nesta terça-feira (23) e foi liberado após a Polícia Civil entender que ele agiu em legítima defesa

Da Redação

O pai que matou o filho em Jardim Tropical, na Serra, se entregou à polícia na terça-feira (23) e foi liberado, já que o inquérito foi concluído como legítima defesa. 

Weberson Motin, de 28 anos, morreu após levar três facadas durante uma discussão no último sábado. O autor do homicídio para a polícia o que aconteceu antes da briga. 

O pai da vítima contou que tentava defender a nora, mas acabou brigando com o rapaz e o atingiu com golpes de facadas para se defender. Para a Polícia Civil, não há dúvidas de que ele agiu em legítima defesa. 

Depois do crime, o pai foi para Governador Valadares (MG), na casa de um amigo, para pensar no que faria. Três dias depois, decidiu se entregar à polícia e prestou depoimento por duas horas.  

"No depoimento, ele narrou a relação com o filho, que era amigável, além da dinâmica do crime. É importante frisar que o depoimento dele está em perfeita consonância com os depoimentos das duas testemunhas presenciais do crime, inclusive com o da esposa da vítima. Diante disso, entendemos que ele agiu em legítima defesa", destacou o delegado. 

Antes de se apresentar, o caminhoneiro gravou um vídeo explicando para a TV Vitória/Record TV os motivos que o levaram a ferir o filho e lamentou a situação.

Fotos divulgadas pela Polícia Civil destacam como o motorista de caminhão, que trabalha fazendo frete, ficou machucado por conta das agressões sofridas durante a discussão.  

A reportagem não vai mostrar o rosto do pai da vítima a pedido do próprio caminhoneiro, que entrou em contato pedindo para dar a sua versão do caso. 

Com exclusividade, ele enviou um vídeo contando sua versão dos fatos e foi assumido um compromisso da reportagem de não identificá-lo.  

A faca usada foi dispensada em um matagal, no bairro Belvedere, também na Serra. O pai levou os policiais até o local e o objeto foi apreendido.

Para a polícia, a maior punição para o motorista é conviver com o fato de ter tirado a vida do próprio filho.  

"É um fato que chama a atenção. Estamos acostumados a lidar com homicídios entre traficantes.  Pela primeira vez, em sete anos de profissão, peguei um caso como esse. Precisamos ser justos, coerentes e aplicar a lei ao caso concreto. Nenhum pai cria o filho para tirar a vida dele depois. A maior pena que ele está pagando é essa", afirmou o delegado. 

Com informações da repórter da TV Vitória/Record TV, Nathalia Munhão.


Notícias Relacionadas »
Comentários »
WhatsApp
Atendimento
Fale conosco pelo Whatsapp