01/11/2016 às 10h27min - Atualizada em 01/11/2016 às 10h27min

Treinamento com tanques e helicópteros no litoral

Jornal ES de Fato
(Foto: Alessandro de Paula)

 

Fuzileiros navais começam a chegar na base da Marinha do Brasil, em Itaoca, Itapemirim, para um treinamento antes de seguirem para o Haiti, onde vão ajudar as vítimas do furacão Matthew, que matou mais de 1 mil.

As manobras militares vão envolver blindados, jipes e helicópteros e ocorrerão até sábado (dia 5) na região entre Marataízes e Itapemirim. Cerca de 200 fuzileiros participam da ação.

Os exercícios tiveram início no Rio de Janeiro. Os soldados farão parte do 25º Grupamento Operativo de Fuzileiros Navais da Missão das Nações Unidas (Minustah) que integram a força de paz da ONU naquele país.

Em 2010, o Haiti já havia sido devastado por terremoto e até hoje não se recuperou completamente. O furacão, que atingiu o país mais pobre das Américas, provocou ventos de 230 km por hora, derrubou árvores, barrancos, pontes e destruiu milhares de casas.

De acordo com a comandante Ana Cristina Requeijo, da comunicação social da Força de Fuzileiros da Esquadra, esse ano, em função da passagem do furacão naquele país, foram incluídos novos exercícios que não constavam no calendário original, como o uso de helicópteros.

Segundo Ana Cristina, o treinamento para a missão foi realizado em duas etapas. A primeira ocorreu no Rio de Janeiro. No Espírito Santo, os militares desenvolverão um tema tático com o objetivo de colocar em prática os ensinamentos adquiridos durante a primeira fase.

Na quarta (dia 2) e quinta-feira (dia 3), de acordo com a comandante, a tropa realizará diversas atividades práticas, com o objetivo de tornar o exercício o mais próximo da realidade vivenciada atualmente no Haiti.

Os integrantes dessa missão irão substituir os fuzileiros navais que se encontram atualmente naquele país, e que foram os primeiros a atingir as áreas mais devastadas do furacão Matthew, o mais forte a atingir a região do Caribe desde 2007.


Notícias Relacionadas »
Comentários »
WhatsApp
Atendimento
Fale conosco pelo Whatsapp