25/04/2016 às 12h30min - Atualizada em 25/04/2016 às 12h30min

Governo Paulo Hartung é considerado bom ou ótimo por 29,8%

O levantamento foi realizado em sete municípios capixabas entre fevereiro e abril

Gazeta Online

Além da avaliação pessoal do governador Paulo Hartung (PMDB), o Instituto Futura também perguntou os entrevistados sobre como veem a gestão do peemedebista. Para 29,8% dos entrevistados, na média das sete cidades pesquisadas, o governo do Estado é bom ou ótimo. Já 22,8% o classificam como ruim ou péssimo. O maior percentual está entre os que avaliam a gestão como regular: 42,3%.

A melhor percepção sobre o governo do Estado está em Colatina. Entre os moradores do município do Noroeste capixaba, as menções à administração como boa ou ótima chegou a 33,4%, ou seja, 3,6 pontos percentuais acima da média. Já o maior percentual dos que apontam o governo estadual como ruim ou péssimo está em Vitória: 27,2%. Em Vila Velha, o índice é menor, 26,8%, mas supera o percentual de bom e ótimo do governo na cidade, que ficou em 24,5%.

Ajuda

Os entrevistados também responderam à pergunta “Você acha que o governo do Estado tem ajudado o seu município a se desenvolver?”.

O “não” foi a opção escolhida por 45,7% dos moradores das sete cidades. Outros 29% acham que o governo tem, sim, auxiliado as localidades.

Foram os entrevistados em Cachoeiro de Itapemirim, cidade comandada pelo prefeito Carlos Casteglione (PT), que mais sentiram falta da ajuda do governo do Estado. Para 50,5% deles a gestão estadual não tem contribuído para o desenvolvimento do município e somente 23% disseram que sim.

Na Vila Velha do prefeito Rodney Miranda (DEM), aliado de Hartung, o percentual dos que avaliam que o governo do Estado não ajuda a cidade também está acima da média e chega a 50%.

Foi na Serra de Audifax Barcelos (Rede) que a gestão alcançou o maior percentual de respostas “sim”, com 38%, mas outros 38,3% dos serranos acham que o governo estadual não os auxilia.

Futura: administração Paulo Hartung é regular

Para o diretor da Futura José Luiz Orrico, o governo obter 29,8% de menções como bom ou ótimo não configura um quadro positivo e sim regular, uma vez que essa foi a opção escolhida pela maior parte dos entrevistados. Orrico, pondera, no entanto, que diante da crise econômica que atinge o país e, consequentemente, os Estados, o resultado não é ruim.

“Talvez as pessoas entendam que, diante da crise, o governo não pode fazer muito. O governo está razoável levando em conta a crise que o país inteiro passa. O Espírito Santo tem pagado os funcionários em dia, tem uma série de coisas em comparação a outros Estados que são favoráveis ao Espírito Santo”, afirma o diretor.

Questionado sobre a avaliação pessoal do governador ser superior à do governo que ele comanda, Orrico diz que esse é um traço comum em pesquisas referentes aos outros períodos em que Hartung esteve à frente do governo do Estado.

“Ele (Hartung) sempre teve uma avaliação pessoal acima da do governo. Os outros sete políticos (os prefeitos das sete cidades da série “Avaliação da Gestão”) foram avaliados negativamente, mas ele conseguiu, nesse tumulto, ser bem avaliado”, diz Orrico. “Independentemente da avaliação ruim dos serviços prestados pelo Estado, o governo tem uma avaliação regular mais para positiva do que para negativa”, aponta o diretor.

Hartung é considerado bom ou ótimo por 41%

Com pouco mais de um ano e três meses à frente do Executivo estadual, posto que ocupa pela terceira vez, o governador Paulo Hartung (PMDB) é aprovado por 40,8% dos moradores das sete cidades pesquisadas na série “Avaliação da Gestão”, realizada pelo Instituto Futura a pedido de A GAZETA. Esse é o percentual dos que consideram, na média entre os municípios, o peemedebista bom ou ótimo. Para outros 16,6% o governador é ruim ou péssimo enquanto 37,8% o avaliam como regular.

Os pesquisadores foram a campo nas cidades de Vitória, Vila Velha, Serra, Cariacica, Linhares, Colatina e Cachoeiro de Itapemirim em datas que variam entre 23 de fevereiro e 8 de abril.

O município em que Hartung é mais bem avaliado é Linhares, no Norte do Espírito Santo, onde o percentual de bom e ótimo do governador chega a 43,5%. Lá, quem o acha ruim ou péssimo é minoria: 10,5%, o que corresponde ao menor índice apontado nesta rodada do levantamento quanto à gestão Hartung.

O resultado vai na contramão da avaliação do prefeito local, Nozinho Correa (PRTB), que bateu recorde negativo de toda a série histórica da “Avaliação da Gestão”, sendo aprovado por somente 3,5% dos entrevistados na cidade.

Ruim

Na outra ponta está Vitória, em que as menções a Hartung como ruim ou péssimo estão acima da média das demais localidades, alcançando 23,4%. Na Capital, comandada pelo prefeito Luciano Rezende (PPS), o governador tem 39,4% de citações como bom ou ótimo, desta vez abaixo da média.

Enquanto isso, Luciano foi considerado como bom ou ótimo por 26,1% e como ruim ou péssimo por 34,9%.

Confiança

Quando perguntados se confiam ou não confiam no governador Paulo Hartung, 45,5%, na média, responderam que sim. Por outro lado, alcançando um percentual similar, 44,2% dizem não confiar no peemedebista. Outros 10,3% não souberam ou não opinaram.

Os moradores que mais confiam no governador são, novamente, os de Linhares, com 51,5% de respostas “sim” à questão. Já os de Vitória voltam a figurar em destaque entre os que desabonam Hartung: 49,9% não confiam nele.

A margem de erro da pesquisa, em cada município, é de 4,9 pontos percentuais para mais ou para menos. O índice de confiabilidade é de 95%. As pesquisas da série estão registradas no Tribunal Regional Eleitoral.


Notícias Relacionadas »
Comentários »
WhatsApp
Atendimento
Fale conosco pelo Whatsapp