10/12/2014 às 18h27min - Atualizada em 10/12/2014 às 18h27min

"Não estupro você porque você não merece": PT vai à Justiça contra Bolsonaro

A declaração desrespeitosa levou vários parlamentares a usarem a tribuna da Câmara, durante sessão do Congresso, a manifestarem solidariedade à Maria do Rosário e repúdio a Bolsonaro

Folha Vitória

PT e o PCdo B anunciaram em plenário, na última terça-feira (9), que vão tomar todas as medidas judiciais cabíveis contra o deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ). Em discurso no plenário da Câmara, o parlamentar, ao dirigir a palavra à deputada Maria do Rosário (PT-RS), ex-ministra dos Direitos Humanos, disse que não a estupraria porque ela “não merece".

A declaração desrespeitosa levou vários parlamentares a usarem a tribuna da Câmara, durante sessão do Congresso, a manifestarem solidariedade à Maria do Rosário e repúdio a Bolsonaro. O líder do PT na Câmara, deputado Vicentinho (PT-SP), leu uma nota condenando a atitude do deputado e comunicando que o partido vai entrar na Justiça contra Bolsonaro.

A líder do PCdoB na Câmara, deputada Jandira Feghali (RJ), também usou o microfone para avisar que vai usar tantos os instrumentos do Congresso como os recursos judiciais para processar Bolsonaro. 

"Isso é inaceitável. Não é apenas uma agressão à deputada Maria do Rosário, é uma agressão a todas as parlamentares e a todas as mulheres. Todas as medidas cabíveis aqui dentro, no Ministério Público e no Supremo Tribunal Federal, nós faremos".

O senador Lindberg Farias (PT-RJ) também fez questão de se solidarizar com a ex-ministra. "Minha solidariedade à deputada Maria do Rosário e a todas as mulheres dessa Casa".

Já o deputado Chico Alencar (PSOL-RJ), sinalizou que a Câmara dos Deputados precisa analisar se a agressão não pode ser interpretada como quebra de decoro, lembrando que não é a primeira vez que Bolsonaro se envolve em polêmicas com colegas do Congresso Nacional.

"Nenhuma votação significa franquear o microfone à tribuna para propagar a estupidez. Isso é um crime. Isso é muito grave. A Casa deve refletir sobre isso".

Outras polêmicas

Em setembro do ano passado, Bolsonaro foi alvo de uma representação por quebra de decoro na Câmara depois de se envolver em uma briga com o senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP). Ele teria dado um soco no estômago do senador durante visita à antiga sede do DOI-Codi, no Rio de Janeiro.

Bolsonaro não fazia parte da comissão, mas forçou a passagem, no portão do quartel, para protestar contra os trabalhos do colegiado e defender a ditadura militar. Randolfe tentava impedir a entrada do deputado federal quando foi agredido. O processo na Comissão de Ética, no entanto, foi arquivado.


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
WhatsApp
Atendimento
Fale conosco pelo Whatsapp