30/11/2015 às 09h03min - Atualizada em 30/11/2015 às 09h03min

14 prefeitos de cidades do ES mudaram de partido em 2015

Partido do ex-governador, o PSB, perdeu 8 chefes do executivo municipal. PMDB de Hartung passou a ser a sigla com maior número de prefeitos.

G1 ES

Dos prefeitos eleitos em 2012, no Espírito Santo, 14 mudaram de partido em 2015 e vão concorrer a um novo mandato no próximo ano, sob uma nova legenda. Entre os partidos que mais perderam prefeitos, está o PSB, que deixou de ser a sigla com mais prefeituras. Já o PMDB do governador Paulo Hartung somou 5 novos prefeitos ao partido.

Nas eleições de 2012, o Partido Socialista Brasileiro elegeu 22 prefeitos no Espírito Santo. Já os peemedebistas, 15. Hoje, o PSB, do ex-governador Renato Casagrande, já tem 8 nomes a menos, sendo que cinco migraram para o partido do atual governador, Paulo Hartung.

Para o prefeito de Marechal Floriano, Lidiney Gobbi, a disputa entre os dois últimos governadores, que até 2014 eram aliados, pegou de surpresa a classe política. Gobbi foi um dos que saiu do PSB para o PMDB

“Até hoje não entendi o porquê dessa relação entre os dois partidos ter acabado. Havia um grupo forte formado que foi rachado. Optei pelo PMDB porque tinha mais proximidade com os nomes que lá estão“, diz Lidiney.
 

Isolamento
Em Itaguaçu, o prefeito Darly Dettman também fez a mesma troca. Dettman afirmou que o medo do isolamento nas próximas eleições foi o que pesou na decisão de deixar o partido onde atuou por 12 anos. “Vejo mais aliados no cenário local estando ao lado do PMDB. Sou pragmático, quem perde poder se enfraquece”, disse.


Outros partidos
O PSDB também ganhou prefeitos, e em vez dos seis, que se elegeram originalmente, hoje tem nove nomes chefiando executivos municipais. Os prefeitos de Presidente Kennedy, Alfredo Chaves e Irupi deixaram suas legendas e optaram pelo partido tucano.
É o caso do chefe do Executivo de Irupi, Carlos Henrique Storck, que desfiliou-se do PSB. O prefeito contou que o convite surgiu do vice-governador, César Colnago (PSDB), que articulou a transição.

“Em um momento de crise como esse é preciso ter proximidade com o governo. Colnago nos ajudou na mecanização do campo, enquanto deputado. Esse apoio foi fundamental para minha mudança”, afirmou.

O prefeito eleito de Água Doce do Norte, Adilson Silvério da Cunha, está afastado do cargo por ordem judicial por suposta compra de votos, mas está contabilizado no cálculo das trocas partidárias. Ele trocou o PMDB pelo PDT, de acordo com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE).


Notícias Relacionadas »
Comentários »
WhatsApp
Atendimento
Fale conosco pelo Whatsapp