19/10/2015 às 21h22min - Atualizada em 19/10/2015 às 21h22min

STJ aumenta pena de Bruno e Macarrão por terem obrigado Eliza a tomar remédio para aborto

Folha Vitória

Por decisão unânime da 6ª Turma do STJ (Superior Tribunal de Justiça), o goleiro Bruno Fernandes e Luiz Henrique Romão, o Macarrão, tiveram as penas aumentadas no processo que respondem no Rio de Janeiro por terem obrigado Eliza Samudio a tomar abortivos. 

A sessão do STJ ocorreu na última quinta-feira (15) e os ministros acompanharam o voto do relator, Rogério Schietti Cruz. O inteiro teor do acórdão não tem prazo para ser publicado pelo Tribunal.   

Bruno teve a pena aumentada de um ano e nove meses para dois anos e três meses de reclusão. Já Macarrão passou de um ano e dois meses para um ano, quatro meses e dez dias. 
Em dezembro de 2010, o juiz Março José Mattos Couto havia condenado Bruno e Macarrão a, respectivamente, quatro anos e meio e três anos de reclusão por terem sequestrado Eliza, aos cinco meses de gestação, e terem-na obrigado a tomar remédios para perder a criança. Apesar das agressões, ela não perdeu o bebê que teve com o goleiro. 

Essas penas se somam às condenações da dupla pelo sequestro, morte e ocultação do cadáver de Eliza, que contam para os pedidos de regressão de regime.  Bruno saiu da Penitenciária Nelson Hungria e cumpre pena de 22 anos e três meses na APAC de Santa Luzia desde setembro. A pena fixada pela Justiça para Macarrão é de 15 anos.


Notícias Relacionadas »
Comentários »
WhatsApp
Atendimento
Fale conosco pelo Whatsapp