28/08/2019 às 08h54min - Atualizada em 28/08/2019 às 08h54min

Setor canavieiro pede incentivo ao etanol

Para representantes do segmento a redução da alíquota do ICMS sobre o produto poderia incentivar demanda do combustível

Jornal ES de Fato
 

Segunda principal atividade econômica do Litoral Sul do Espírito Santo, a cadeia canavieira foi tema da reunião ordinária do Colegiado de Cooperativismo de ontem, no Plenário Judith Leão.

Para o economista Orlando Caliman, que apresentou estudo dele iniciado em 2000 sobre a situação e necessidades do setor, é preciso fazer correção de assimetria tributária e redução da alíquota de 27 para 14% do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) sobre o etanol.

"O mercado do etanol no Espírito Santo não é competitivo. É preciso estimular a produção através do incentivo da demanda, seja local ou nacional", defendeu. No Estado, três usinas de cana-de-açúcar estão em atividade: a Alcon, em Conceição da Barra; a Lasa Lago Azul, em Linhares, e a Paineiras, em Itapemirim.

Também presente na reunião, o secretário de Agricultura de Itapemirim e presidente da Cooperativa Agrícola dos Fornecedores de Cana (Coafocana), Luciano Henriques, destacou que os mais de 500 produtores ligados à Cooperativa esperam que o Governo do Estado seja sensível às necessidades do setor.

"Trabalhamos em parceria forte com as Prefeituras Municipais de Itapemirim, Presidente Kennedy e Marataízes e com a Usina Paineiras de forma a dar suporte às mais de cinco mil famílias que trabalham diretamente no cultivo da cana-de-açúcar", afirmou.

O Superintendente da Usina Paineiras, Antônio Carlos de Freitas, lembra que o fornecimento de cana-de-açúcar pelos produtores impacta diretamente no resultado da indústria que transforma grande parte dessa matéria prima em etanol e açúcar. "O problema do Estado do Espírito Santo é a falta de demanda local, que não estimula a produtividade. Enquanto o valor do litro de etanol em São Paulo corresponde a 55% do valor da gasolina, aqui no Estado é de 86%", salientou.

Para o presidente da comissão, deputado Marcos Mansur (PSDB) "é preciso criar um mecanismo de geração de demanda, e para isso vamos levar estas informações ao Secretário de Estado da Fazenda, para melhor analisara situação, principalmente na questão tributária", finalizou.

Também participaram da reunião os deputados Alexandre Xambinho (Rede) e Hudson Leal (PRB).


Notícias Relacionadas »
Comentários »
WhatsApp
Atendimento
Fale conosco pelo Whatsapp