18/11/2020 às 09h23min - Atualizada em 19/11/2020 às 00h00min

Mercado imobiliário do interior se beneficia da busca por qualidade de vida e queda de juros

Fluxo de empreendimentos e pessoas deixando a capital e outros grandes centros cresce cada vez mais. Entenda o porquê

DINO
http://www.perplan.com.br

O interior paulista está crescendo cada dia mais. A presença de fábricas vindas das capitais, o crescimento do número de pessoas que deixam os grandes centros em busca de melhor qualidade de vida e os jovens que vão estudar nas principais universidades e polos de pesquisa do país são alguns dos fatores para o crescimento de cidades como Ribeirão Preto, Araraquara, São Carlos, Botucatu, Votorantim e Sorocaba.

Este cenário, consequentemente, também afetou, de maneira positiva, o mercado imobiliário. Pesquisas do Sindicato da Habitação do Estado de São Paulo mostram que, em 40 anos, a população fora da capital paulista saltou de 16,4 milhões para 32 milhões de habitantes. Um aumento expressivo que gerou a produção e a comercialização de mais de 5,5 milhões de moradias e ainda apontam para o aumento desses números.

Tendência de crescimento

O cenário estrutural se manteve muito favorável para o segmento, fortalecido pelo menor patamar da taxa básica de juros da história do Brasil (Selic = 2% ao ano), pelo déficit habitacional e pelo papel da construção civil como importante mecanismo para recomposição de emprego e renda.

Consequentemente, a recuperação e o crescimento presenciados, mesmo no período de pandemia, para o mercado não é uma surpresa, mas não restam dúvidas de que alguns nichos e regiões foram especialmente favorecidos.

O presidente da Perplan Urbanização e Empreendimentos, empresa ribeirão-pretana referência do setor da construção civil, Ricardo Telles, demonstra otimismo em relação à recuperação econômica do país e diz que, no interior, mesmo os setores que foram mais afetados, como o de serviços, já estão se recuperando.

“O desempenho do mercado imobiliário tem chamado atenção. Nós da Perplan ultrapassaremos R$ 300 milhões de venda bruta nesse ano, o que é significativo para uma empresa do interior. Nosso setor sempre foi um motor da economia. Agora, os lançamentos de construção civil e a geração de empregos impulsionarão a recuperação geral da economia do Brasil”, conta Telles.

Dados de 2020 da Datastore, empresa especializada em pesquisas de mercado para o setor imobiliário, mostram que houve um aumento representativo no número de intenções de compra de imóvel próprio – um salto de, aproximadamente, 13% no número de brasileiros que pretendem adquirir um imóvel nos próximos dois anos.

“Na pandemia, caímos para 10,5%, a maior queda desde 2007. Em agosto, chegamos a 23,1%. Nunca houve uma queda e uma recuperação tão rápidas. O estoque inteiro do país foi, praticamente, vendido. Isso tornou o mercado imobiliário o setor mais saudável da economia brasileira”, afirma Marcus Araújo, CEO da Datastore.

O novo normal

O trabalho remoto tem se tornando permanente, como adotado, por exemplo, pela Prefeitura da cidade de São Paulo no decreto 59.755, que instituiu o Home Office para os órgãos da administração direta, autarquias e fundações do município, oferecendo maior liberdade geográfica às pessoas.

O Home Office pode até ser definitivo, se determinado pela iniciativa privada ou mesmo o Poder público, mas onde ele será realizado passa a ser uma escolha do próprio trabalhador.

Da mesma forma, e por conta da necessidade de isolamento social, as pessoas tiveram sua convivência e rotina confinadas, especialmente, a sua própria residência. Esta experiência de meses interagindo intensamente com e em seu imóvel, levou as pessoas a importantes conclusões – falta de espaço adequado para se trabalhar em casa ou para sua estrutura familiar, ausência de contato com a natureza, de boa ventilação, iluminação, entre outros aspectos.

Como resultado da combinação de liberdade geográfica criada pelo Home Office com a percepção de residências inadequadas, muitas pessoas têm aderido à saída dos grandes centros em busca de maior qualidade de vida.

Pensando em segurança

“Notamos que a insegurança em relação ao futuro e aos impactos que isso traria para a economia acabaram consolidando ainda mais o mercado imobiliário. O imóvel sempre foi uma moeda muito forte e um investimento seguro que acabou se fortalecendo nesse período”, salienta a coordenadora de Vendas da Perplan, Débora Lopes.

A qualidade de rodovias como a Imigrantes, Dutra, Castelo Branco e Anhanguera, por exemplo, influenciou na decisão de quem pensava em comprar imóvel no interior.

Para muitos, uma vida longe da capital já era uma vontade e a chegada da pandemia trouxe a motivação necessária. Famílias grandes e com filhos pequenos saíram de São Paulo em busca de segurança e mais espaço. Uma rotina menos agitada e estressante também foram fatores decisivos.

O mercado imobiliário sempre foi uma estratégia sólida e segura para a multiplicação de patrimônio. Estes novos tempos trouxeram baixa nos juros, muita volatilidade no mercado de ações, incertezas na performance do mercado financeiro e renda fixa abaixo da inflação. Isso motivou investidores a procurarem alternativas com maior potencial de retorno.

“O investimento no setor imobiliário voltou a ser visto como uma forma muito segura e, realmente, vantajosa. O cliente tem a possibilidade de locação, o que dará uma rentabilidade mensal, além de garantir a valorização do patrimônio. Há, ainda, a facilidade de girar esse investimento com outros negócios, por ser uma moeda de troca importante”, explica a coordenadora de Vendas.

Investindo no interior

Diego Camargo, sócio fundador da GCDI (Guerini Camargo Desenvolvimento Imobiliário), especialista em Análise de Investimentos, Planejamento e Gestão Comercial, profissional com mais de 20 anos de experiência no mercado imobiliário, consultor de negócios e investidor, considera que o eixo da Rodovia Castelo Branco deverá ser um dos mais importantes vetores de crescimento e valorização do Brasil nos próximos 10 anos.

Ele ressalta a importante função da rodovia, a qualidade construtiva da mesma, com excelente manutenção, e a atual aceleração da fuga de pessoas e empresas dos grandes centros como influências para que, cada vez mais, empreendimentos logísticos, empresariais, residenciais, de lazer e de conveniência, entre outros, continuem se instalando as suas margens.

A XP Investimentos, uma das maiores corretoras de valores do mercado financeiro do Brasil, em detrimento de todas as possibilidades de localização, em junho deste ano anunciou a implantação de sua Villa XP na cidade de São Roque, no quilômetro 60 da Castelo Branco. A Villa XP será a sede do Banco XP, localizado próximo ao São Paulo Catarina Aeroporto Executivo e ao Catarina Fashion Outlet.

Outro exemplo é a consolidação da Fazenda Boa Vista, um empreendimento de campo destinado à alta renda desenvolvido pela JHSF, a fazenda conta com mais de 800 unidades, possui infraestrutura completa de esportes, lazer e serviços, tudo isso em uma propriedade de 12 milhões de m², sendo três milhões deles cobertos por matas nativas, lagos, bosque e jardins, com paisagismo que se integra à vegetação original do local, projetados na altura do quilômetro 102, no município de Porto Feliz.

Exemplos para o futuro

Apostando no crescimento e no fortalecimento do mercado imobiliário no interior paulista, a Perplan lançou, em 2020, empreendimentos como o THZ 2965, localizado no alto do Jardim Botânico, a uma quadra da avenida Professor João Fiúsa, ao lado do Über Parque Sul “Roberto Francói”.

Um case de sucesso foi o lançamento do Villas do Mirante, um bairro planejado aberto, com características de vila, que integra áreas residenciais e comerciais com toda conveniência, segurança, monitoramento e a tranquilidade de um bairro a uma distância conveniente dos principais pontos da cidade.

O NP 870, em Piracicaba, reúne elementos de interesse buscados pelo público-alvo do empreendimento, determinados em levantamentos feitos pela empresa, como “sofisticação”, “vista para pontos turísticos ou naturais da cidade”, “localização privilegiada”, entre outros.

Tendo como norte um produto imobiliário que trouxesse, já em sua concepção, itens que possibilitassem aos futuros moradores o menor deslocamento possível, o residencial está a apenas uma quadra dos principais colégios, supermercados, hospital, do Engenho Central, postos de combustível, farmácias. Tem fácil acesso ao Centro e ao Shopping Piracicaba e uma vista especial para o principal cartão postal da cidade, o Rio Piracicaba.

Perplan

Com 20 anos de história, a Perplan é uma incorporadora e urbanizadora com foco no desenvolvimento de bairros planejados, loteamentos com completa infraestrutura e residenciais verticais com alta qualidade. A Perplan especializou-se em projetar soluções imobiliárias que atendem as necessidades de seus públicos.

Já são 31 empreendimentos lançados – sendo 13 de incorporação e 18 de urbanismo – em nove cidades no Interior do Estado de São Paulo e no Triângulo Mineiro. Há mais oito novos projetos, aproximadamente, para serem lançados em 2021, com expansão para, pelo menos, quatro novas cidades.

 



Website: http://www.perplan.com.br
Notícias Relacionadas »
Comentários »
WhatsApp
Atendimento
Fale conosco pelo Whatsapp