18/08/2020 às 16h56min - Atualizada em 19/08/2020 às 00h02min

Polêmicos, os secadores de mãos têm sido a melhor saída em meio à pandemia

Em meio a essa nova realidade, empresas especializadas no assunto têm trazido novidades tecnológicas para manter ambientes limpos e higienizados. Dentre elas está o secador de mãos com filtro"Hepa" e emissão de luz UV.

DINO
http://www.dakmark.com.br

Os secadores de mãos, muito utilizado em banheiro dos shoppings e grandes empresas, têm sido a melhor alternativa para diversas empresas em meio à pandemia do novo Coronavírus (Covid-19), com a reabertura do comércio, lojistas e grandes empresas estão em busca de uma renovação, já que diversas prefeituras e governos sancionaram novas leis sanitárias.

Em meio a essa nova realidade, empresas especializadas no assunto têm trazido novidades tecnológicas para manter ambientes limpos e higienizados; dentre elas está o secador de mãos com filtro "Hepa" e emissão de luz UV; Este tipo de produto já é conhecido por muitos, porém divide opiniões, alguns ainda preferem o papel como alternativa para secar as mãos.

Porém, especialistas em saúde pública indicam que os papéis, quando permanecem no ambiente de grande circulação, acabam retendo as bactérias e vírus que circulam no local, trazendo de volta a sujeira que acabou de ser eliminada pela lavagem das mãos.

Estudos independentes realizados por Kelly Reynolds, Ph.D., professor na Faculdade de Saúde Pública Mel & Enid Zuckerman da Universidade do Arizona, foram encontradas mais de 17 diferentes espécies de bactérias situadas nos papéis toalha e seus dispenser’s examinados em vários banheiros de uso público.

Já os secadores de mãos com as novas tecnologias, possuem a capacidade de eliminar cerca de 99,99% dos vírus e bactérias contidas no ar usado para secar as mãos.

Mas por que ocorre uma má fama sobre os secadores?

Segundo Kelly, os consumidores podem ler manchetes que podem influenciar a opinião pública com conclusões tendenciosas ou errôneas, mas o fato é que a amplitude dos dados disponíveis não favorece um método de secagem das mãos como sendo mais higiênico ou mais seguro.

Ainda segundo Kelly, a desconfiança sobre os secadores apresenta-se devido às manchetes sensacionalistas, implantada pela indústria do papel e seus adeptos que acabam definindo um lado ser o melhor, entretanto, com a chegada do novo Coronavírus (Covid-19) a situação parou de ser somente uma “guerra” entre mercados e a necessidade de higienização tornou-se prioridade.

Fato irrefutável é que, quanto menos as pessoas tocarem em superfícies, mais protegidas estarão, e os secadores desta nova geração proporcionam exatamente isso, além de seu superfiltro, não é preciso tocar no aparelho para fazê-lo funcionar.

O mercado aponta para uma nova tendência que é a tecnologia touchless, que não precisa de toque para funcionar, e chegou para ficar. Não importa se é no elevador, no pagamento ou nos banheiros, tocar nos aparelhos está além de ser algo ultrapassado, hoje é questão de saúde pública.

A empresa Mineira Dakmark secadores de mãos, há 10 anos no mercado, apontou um crescimento de 230% na procura por equipamentos touchless, e cerca de 90% deste montante são por secadores de mãos com as novas tecnologias de filtro "Hepa" e luz UV.

"Hoje nosso público está muito mais antenado nas questões de higiene, portanto muito mais que apenas economia ao parar de usar papel toalha nossos clientes estão em busca de solução eficaz para secar as mãos com rapidez, higiene e segurança."



Website: http://www.dakmark.com.br
Notícias Relacionadas »
Comentários »
WhatsApp
Atendimento
Fale conosco pelo Whatsapp