29/06/2020 às 08h31min - Atualizada em 29/06/2020 às 08h42min

Pandemia impulsiona mercado digital brasileiro e cria oportunidades para aumentar a renda mensal

Com o isolamento social, o público consumidor adotou o hábito de fazer compras online em maior quantidade e também com maior frequência, causando um grande aumento de demanda por produtos e cursos online. Isso está gerando muitas oportunidades lucrativas para quem busca aumentar a renda mensal usando os meios digitais para se proteger financeiramente na crise da pandemia.

DINO
https://evipes.com/

Se existe um nicho de mercado que ainda não conheceu nenhuma crise econômica, esse é o mercado digital.

E em meio à pandemia que se instalou no mundo inteiro, o mercado digital se destacou como solução e já bateu recordes esse ano.

Segundo uma pesquisa realizada pela PwC Brasil, a Total Retail 2017, pelo menos desde de 2006 o comércio e prestação de serviços online apresentaram crescimento contínuo todos os anos, mesmo quando os mercados mais tradicionais da nossa economia apresentaram queda.

Esse ano, por conta da pandemia, o hábito de comprar online disparou. Na segunda quinzena de março, logo após o início da pandemia, as compras online aumentaram em 40% em relação ao mês de fevereiro, segundo as informações da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm).

E essa taxa é apenas a média entre todas as categorias de compra. Algumas tiveram um aumento superior. A categoria de produtos para a saúde teve aumento de 124%. As compras de itens de beleza e perfumaria tiveram 83% de aumento.

O isolamento social quase repentino a nível nacional fez com que muitas empresas, pequenos produtores e profissionais autônomos corressem para se adaptar ao mercado digital.

Mas a grande questão é: as compras online serão a preferência dos consumidores depois que a pandemia acabar?

Existem oportunidades que estão em alta no mercado digital e é possível entrar nesse mundo mesmo que não se tenha um produto ou serviço próprio para vender.

O E-COMMERCE DISPAROU EM VENDAS

Com a pandemia e o isolamento social, os hábitos de compra dos consumidores migraram em massa para o meio digital.

Conforme os números da ABComm, o número médio de abertura de lojas online aumentou em 400% nos meses de quarentena.

Essa explosão seguiu a necessidade de atender a demanda de consumidores que passaram a comprar online como única opção.

O aumento no faturamento do setor do e-commerce brasileiro confirma esse fenômeno. Segundo os dados registrados pela empresa Compre&Confie, em relação a abril do ano passado o e-commerce teve um aumento geral de 81% em relação a este mesmo mês em 2020.

Somente em abril deste ano, o e-commerce chegou ao faturamento de R$ 9,4 Bilhões. Foram 24,5 milhões de compras efetuadas, um aumento de 98% em relação ao mesmo mês do ano passado.

GRANDE AUMENTO NA PROCURA POR CURSOS ONLINE E EAD

Além do comércio online de bens de consumo, o que teve um grande aumento desde o início da quarentena foi o consumo de conteúdo especializado através de cursos online e ensino à distância (EAD).

No início de abril deste ano, um levantamento do Google mostrou que a procura por cursos de especialização à distância cresceu 130% ao mês anterior.

Com mais tempo em casa e também com maior necessidade de buscar novas soluções para enfrentar a crise, milhões de brasileiros se matricularam em formações EAD e também em cursos online independentes.

A Fundação Getúlio Vargas (FGV), também no mês de abril, teve 400% de aumento de adesão em suas formações online gratuitas, comparando com os meses de janeiro e fevereiro deste ano.

Na mesma tendência, a Tim Tec, plataforma de cursos online do Instituto Tim, apresentou aumento de 200% nas matrículas em comparação com o mesmo quadrimestre do ano passado.

Confirmando a ascensão dos cursos online, a Catho Educação também revelou que observou um aumento de 70% nas matrículas para cursos EAD entre o final de março e o início de abril deste ano.

HÁBITO DE COMPRA ONLINE DEVE SEGUIR EM CRESCIMENTO MESMO COM O FIM DA PANDEMIA

Comprar online já era bastante comum para boa parte dos brasileiros. Mas, mesmo assim, o isolamento social causou um enorme impulsionamento de novos consumidores no mercado digital.

Apesar da difusão do consumo online, muitas pessoas nunca tinham comprado online antes de 2020.

Segundo os dados de uma pesquisa realizada pela Nielsen, Comscore, Global Index, Katar e MindMiners, 13% dos consumidores online fizeram compra online pela primeira vez este ano.

Um outro estudo realizado com 1.000 consumidores de todo o Brasil, realizado pela Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo (SBVC), revelou algo interessante: 61% dos consumidores que fizeram compras online durante a quarentena aumentaram o volume de compras por conta do isolamento social.

Desses consumidores, quase metade (46%) afirma que esse aumento de compras online foi maior que 50% em relação ao que já comprava normalmente.

Além disso, segundo esse estudo, 70% dos consumidores online pretendem continuar comprando mais pela internet mesmo com o fim do isolamento social.

PLATAFORMA GRATUITA PARA COMEÇAR A VENDER ONLINE

Com todo esse aumento do comércio online, algumas empresas estão se destacando por oferecer oportunidades para pequenos produtores, profissionais autônomos, comerciantes e vendedores entrarem no mercado digital sem precisar investir muito.

A plataforma Evipes é um exemplo disso. A empresa conecta produtores e fornecedores de produtos físicos e digitais com profissionais que desejam fazer vendas pela internet, sem vínculo empregatício.

Os produtores podem cadastrar gratuitamente seus produtos na área de membros da plataforma. Pode ser produtos físicos ou produtos digitais, como cursos online, eventos digitais, e-books e outros formatos.

Esses produtos podem ser promovidos e vendidos por qualquer pessoa que também faça um cadastro gratuito na plataforma. São os afiliados. Basta acessar a área de membros e solicitar afiliação aos produtos.

A empresa ainda oferece em sua área de membros cursos de capacitação básica para marketing digital e vendas online.

Para começar a vender online pela plataforma, não é necessário ter um produto ou serviço. Basta se afiliar a produtos de terceiros, que podem ser físicos ou digitais, promover as ofertas e receber comissões pelas vendas indicadas. Essas comissões são definidas pelos produtores, e podem chegar a até 40% do valor da  venda.

É possível saber mais sobre a plataforma Evipes e fazer um cadastro gratuito acessando a página oficial da empresa pelo link abaixo.

>>> Acessar a página oficial da Evipes.com



Website: https://evipes.com/
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
WhatsApp
Atendimento
Fale conosco pelo Whatsapp