23/01/2020 às 09h52min - Atualizada em 23/01/2020 às 09h52min

Família de capixaba internado diz que não está recebendo ajuda da Backer

Familiares do engenheiro Luiz Felippe Teles Ribeiro, de 37 anos, que moram em Marataízes e Guarapari, foram para Belo Horizonte acompanhar o estado de saúde dele. Eles alegam que não estão recebendo auxílio da cervejaria

Da Redação
Familiares do engenheiro Luiz Felippe Teles Ribeiro, de 37 anos, intoxicado após ingerir uma cerveja da Backer contaminada com dietilenoglicol, se mudaram temporariamente para Belo Horizonte, em Minas Gerais, onde o capixaba está internado. Contudo, os custos que a família está tendo para acompanhar de perto o quadro do Felippe estão saindo do próprio bolso. Ao contrário do que alega a Backer, a família do capixaba diz que não está recebendo nenhum auxílio da cervejaria. Em entrevista ao Jornal Nacional, a esposa de Luiz Felippe, Camila Demartini, cobrou assistência.
 
"No mínimo pagar todo o gasto dispendioso em relação à família dele, por ser de fora e estar aqui, precisando de se alimentar, se transportar, se abrigar. Todos os gastos, no mínimo, com saúde".

Luiz Felippe está internado desde o dia 30 de dezembro em um hospital particular da capital mineira. Ele foi hospitalizado ao passar mal após ingerir a cerveja Belorizontina com o sogro, que morreu uma semana após os primeiros sintomas.

A família do capixaba mora em Marataízes, mas desde que soube do estado de saúde de Felippe, que é grave, se mudou temporariamente para Belo Horizonte. De acordo com o amigo da família, Edilson Júnior, até o momento a Backer não entrou em contato com nenhum deles.

O QUE DIZ A BACKER
Mesmo após a família de Luiz Felippe dizer que não está recebendo assistência da Backer, a cervejaria alegou que estruturou uma equipe para prestar atendimento aos atingidos pela intoxicação por dietilenoglicol. Por meio de nota, a fábrica informou que está visitando pessoas hospitalizadas e familiares.

Confira a nota:
Conforme anunciado na semana passada, a Backer estruturou uma equipe multidisciplinar para prestar atendimento aos atingidos pela intoxicação por dietilenoglicol e desde então tem atuado para acolher todas elas.

Inclusive, as pessoas hospitalizadas e seus familiares estão sendo visitados pessoalmente por representantes da cervejaria. Até o momento, três famílias que já entraram em contato já foram visitadas.

Para que tenhamos acesso a essas pessoas e possamos ajudá-las, é muito importante que entrem em contato por meio dos canais divulgados

Notícias Relacionadas »
Comentários »
WhatsApp
Atendimento
Fale conosco pelo Whatsapp