25/11/2019 às 09h50min - Atualizada em 25/11/2019 às 09h50min

Fragmentos de óleo são encontrados também no litoral de São Francisco de Itabapoana

V Notícia

Uma equipe da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Defesa Civil de São Francisco de Itabapoana localizou fragmentos de óleo na manhã deste sábado(23), na Praia de Santa Clara.
 
A secretaria acionou as autoridades competentes, como Marinha e o Instituto Estadual do Ambiente (Inea) e fez a coleta de algumas amostras dos fragmentos para serem analisadas por esses órgãos.
 
As autoridades ambientais de São Francisco de Itabapoana aguardam uma análise mais detalhada, mas a probabilidade de ser o mesmo óleo que polui o Nordeste é grande.
 
Segundo a chefe do setor de fiscalização da Secretaria, Juliana Alves, o órgão já vinha intensificando o monitoramento do litoral sanfranciscano durante toda a semana, mas não havia encontrado vestígios.
 
“Com a localização de fragmentos na manhã deste sábado em São João da Barra e com a informação de que uma banhista pisou em um fragmento de óleo em Santa Clara e teve muita dificuldade para remover essa mancha do pé, nós percorremos o litoral de Santa Clara e localizamos as manchas”, disse Juliana.
 
A secretária municipal de Meio Ambiente e Defesa Civil de São Francisco, Luciana Soffiati, disse que está em São João da Barra para participar de uma reunião com a Marinha e representantes do Meio Ambiente e da Defesa Civil de São João da Barra.
 
"Solicitamos o apoio da Marinha e nesse momento uma equipe de marinheiros da Capitania dos Portos de São João da Barra está recolhendo mais fragmentos no nosso litoral”, disse Soffiati, que vai participar de outra reunião neste domingo(24), em Macaé, com representantes do Instituto Estadual do Ambiente (Inea), Defesa Civil Estadual, Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), Petrobras e autoridades de outros municípios da Região.

Praia de Grussaí, em São João da Barra
Fragmentos de óleo chegaram à Praia de Grussaí, em São João da Barra, no Rio de Janeiro, de acordo com os órgãos do governo federal que acompanham o desastre ambiental. A força-tarefa informou que o material, detectado na sexta-feira(22), é compatível com o que já foi encontrado na costa do Nordeste e do Espírito Santo, mas uma análise mais detalhada ainda será feita.
 
De acordo com o Grupo de Acompanhamento e Avaliação (GAA), foram encontrados 300 gramas do óleo. Toda a área da praia, que é a principal da cidade, foi vistoriada e somente esta porção foi achada. Um grupo de militares da Marinha está no local e servidores do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) se reunirão ao grupo ainda neste sábado.
 
Durante evento militar na manhã deste sábado, o presidente Jair Bolsonaro foi questionado sobre a chegada do óleo ao Rio de Janeiro. Ele afirmou que gostaria de identificar quem cometeu o "ato criminoso" e que ainda não é possível saber quanto óleo há no mar.
 
“Na pior hipótese, um petroleiro, caso tenha jogado no mar toda a sua carga, menos de 10% chegou na nossa costa ainda. Então, nos preparemos para o pior. Pedimos a Deus que isso não aconteça”, afirmou o presidente.


 


Notícias Relacionadas »
Comentários »
WhatsApp
Atendimento
Fale conosco pelo Whatsapp