22/03/2018 às 09h34min - Atualizada em 22/03/2018 às 09h34min

Procuradores fazem buscas na sede da Volks em nova investigação de fraude

Volkswagen é suspeita de divulgar informações exageradas sobre o consumo de combustível dos veículos.

G1

 

Procuradores alemães disseram na terça-feira (20) que promoveram uma operação na sede da Volkswagen como parte de uma nova investigação envolvendo divulgação de informações exageradas sobre a eficiência no consumo de combustível de seus veículos.

A notícia é o mais recente retrocesso nos esforços da empresa alemã para superar o escândalo de 2015, em que admitiu ter fraudado testes de emissões de poluentes de motores a diesel nos Estados Unidos.

Os promotores da cidade de Braunschweig revistaram 13 escritórios na sede da Volkswagen em Wolfsburg, no começo de março, apreendendo documentos e arquivos de computador que serão revisados ​​agora, disse um porta-voz da promotoria.

O foco das autoridades foi um comunicado divulgado pela Volkswagen em 9 de dezembro de 2015 - cerca de três meses depois do escândalo que ficou conhecido como "dieselgate" ter explodido nos Estados Unidos.

Nesse comunicado, a Volkswagen informou que suas próprias investigações descobriram que o consumo de combustível e, portanto, as emissões de dióxido de carbono (CO2) foram subestimados, em mais de 36 mil veículos.

Esse volume é muito menor que a estimativa preliminar de cerca de 800 mil veículos a diesel e gasolina produzidos cinco semanas antes, o que levou a Volkswagen a alertar que poderia enfrentar um impacto de US$ 2,5 bilhões.

A empresa também disse em sua declaração de dezembro de 2015 que não encontrou evidências de alterações ilegais nos dados de emissões de CO2.

Os promotores disseram na terça-feira que estão investigando indivíduos por suspeitas de manipulação de mercado.

A Volkswagen, maior montadora de veículos da Europa, confirmou as buscas, mas recusou mais comentários.

Separadamente, os promotores de Braunschweig investigam o ex-presidente-executivo da Volkswagen Martin Winterkorn, o ex vice-presidente financeiro e atual presidente do conselho de administração Hans Dieter Poetsch, e o atual presidente da marca VW Herbert Dies sobre suspeita de manipulação de mercado relacionada ao dieselgate.


Notícias Relacionadas »
Comentários »
WhatsApp
Atendimento
Fale conosco pelo Whatsapp