27/02/2018 às 10h54min - Atualizada em 27/02/2018 às 10h54min

Vereadora presa por suspeita de 'rachid', é afastada e tem bens bloqueados no ES

Ela será levada para o Centro de Detenção Provisória (CDP) de Colatina. As investigações estão sob sigilo e, por isso, os valores desviados ainda não foram informados.

G1

 

A vereadora Rosinha (PSDC-ES), da Câmara Municipal de Linhares, presa nesta segunda-feira (26), foi afastada do cargo e também teve os bens bloqueados, por suspeita de 'rachid', quando o servidor público é obrigado a dar parte do salário em troca da manutenção do cargo. Ela será levada para o Centro de Detenção Provisória (CDP) de Colatina. As investigações estão sob sigilo e, por isso, os valores desviados ainda não foram informados.

Rosinha foi presa na operação chamada “Salário Amigo”, que também cumpriu dois mandados de busca e apreensão e 12 conduções coercitivas de testemunhas expedidas pela Justiça.

A ação é do Ministério Público do Espírito Santo (MP-ES), que tem o objetivo de evitar casos de corrupção como a prática do 'rachid', que é quando o servidor público é obrigado a dar parte do salário e a troca da manutenção do cargo.

Antes de prestar depoimento, nesta manhã, ela disse que não sabia sobre as acusações, mas depois a reportagem não teve acesso à suspeita. Por nota, a Câmara de Vereadores de Linhares informou que não tem conhecimento das denúncias, mas que está à disposição para prestar esclarecimentos e contribuir com as investigações.

O promotor Leonardo Augusto César dos Santos explicou que os valores que foram desviados serão ressarcidos às vítimas. "A gente não pode falar ainda quanto, pois ainda está em investigação e não sabemos ainda o tamanho da lesão, mas pelo crime, já temos condições de afirmar que vai ser pedido o dano moral", disse.

 


Notícias Relacionadas »
Comentários »
WhatsApp
Atendimento
Fale conosco pelo Whatsapp