05/04/2021 às 12h31min - Atualizada em 05/04/2021 às 12h31min

Não haverá atraso na vacinação de grupo com comorbidades no ES, garante Secretaria de Saúde

Pasta afirma que as doses que serão utilizadas para imunização de professores e profissionais da Educação são da reserva técnica desses grupos

Folha Vitória

Está previsto para a próxima semana o início da vacinação contra a covid-19 em profissionais da Educação e da Segurança Pública no Espírito Santo. Pelo Plano Nacional de Imunização, após a aplicação da vacina em idosos, o próximo grupo a receber as doses é do de pessoas com comorbidades.

Apesar da inclusão das duas categorias de profissionais na campanha de vacinação no Estado, a Secretaria de Saúde do Espírito Santo (Sesa) afirma que não haverá atrasos nas aplicações das vacinas nos próximos grupos. Segundo a Sesa, as doses que serão utilizadas para a imunização de professores e profissionais da Segurança Pública fazem parte da reserva técnica dos grupos prioritários.

Para o especialista em saúde coletiva e imunização Sayler Vitoriano, o adiantamento de um determinado grupo pode, inevitavelmente, atrasar outro. "Levando em consideração que a vacina está escassa e não temos quantidade suficiente para vacinar em massa, um ou outro grupo pode ficar mais prejudicado no quesito tempo. Com certeza, priorizando esses grupos, demora um pouco mais para os grupo de comorbidades", avalia.

Para Vitoriano, apesar da possibilidade de atraso, a vacinação para profissionais da Educação e Segurança Pública é acertada, uma vez que são altamente essenciais para a sociedade. "É um dilema social, econômico e de saúde. A premissa de considerar o grupo prioritário de profissionais da saúde para não colapsar e manter o serviço funcionando é o mesmo princípio para Educação e Segurança Pública. Há uns anos, tivemos um sistema de segurança colapsado. Esse cenário de colapso na segurança é um problema e tanto, enquanto sociedade".

O especialista também reforça a importância de imunizar a população que possui comorbidades, pois são fatores que podem influenciar o agravamento do quadro clínico de infectados pela covid-19. No entanto, ele destaca que há uma grande quantidade de pacientes que se enquadram nesse grupo. Por este motivo, é preciso avaliar quais serão as prioridades dentro do grupo de comorbidades.

"Se pegarmos pressão alta, por exemplo, são 60% da população brasileira. Com isso, já temos uma ideia da quantidade de vacinas que seriam necessárias e ainda não temos vacina para todas essas pessoas. Então reflete esse dilema para os governantes trabalharem sobre a prioridade de cada grupo", afirma.

Sobre o assunto, a Sesa informou que o detalhamento do grupo de comorbidades será publicado em resolução da Comissão Intergestores Bipartite (CIB) no momento em que as doses destinadas ao grupo forem anunciadas pelo Governo Federal.

Atualmente, no Espírito Santo, estão sendo vacinadas pessoas com mais de 65 anos. Ao todo, são 147 mil idosos com idades entre 65 e 69. A vacinação dos demais idosos só será realizada quando 100% deste grupo receber a primeira dose.

A coordenadora do Programa Estadual de Imunizações e Vigilância das Doenças Imunopreveníveis, Danielle Grillo, falou sobre a imunização de professores e trabalhadores da segurança, que será antecipada. Este grupo seria vacinado após a imunização de pessoas com comorbidades, deficiência, pessoa em situação de rua, detentos e trabalhadores do sistema penitenciário.

"Após a vacinação do grupo de idosos, serão atendidas as pessoas com comorbidades. Paralelo à vacinação desse grupo, o Governo do Estado do Espírito Santo resolveu antecipar a vacinação do grupo de professores e postos de segurança e salvamento, mas os detalhes sobre como será feita a vacinação deste público, ainda serão discutidos em âmbito de Estado e municípios", apontou Grillo.

Confira abaixo a tabela com a população estimada de cada grupo prioritário:
 

Foto: Divulgação / Sesa

Notícias Relacionadas »
Comentários »
WhatsApp
Atendimento
Fale conosco pelo Whatsapp