09/03/2021 às 13h15min - Atualizada em 09/03/2021 às 13h15min

Maioria de deputados da bancada capixaba é contra decisão de Fachin sobre Lula

Dentre os que se manifestaram até agora, 4 se posicionaram contra a decisão do ministro do Supremo, 2 são a favor, e um disse que não vai se posicionar

Da Redação

A decisão do ministro do STF, Edson Fachin, de anular todas as condenações do ex-presidente Lula no âmbito da Lava Jato, nessa segunda-feira (9), desagradou a maioria dos parlamentares capixabas em Brasília. Dentre os que se manifestaram até agora, quatro foram contra e dois a favor. O líder da bancada capixaba, deputado Da Vitória (Cidadania), preferiu não se posicionar por enquanto.

Dentre os favoráveis estão o senador Fabiano Contarato (Rede) e o deputado Helder Salomão (PT). Contarato disse que a anulação recoloca Lula no páreo para as eleições de 2022, e como favorito. “Um meteoro caiu na constelação da política”, disse. Já o petista defendeu que está sendo feita justiça a Lula. “Com certeza, daqui pra frente, haverá grandes mudanças no cenário político e eleitoral brasileiro”.

A lista dos contrários é mais extensa. Marcos do Val (Podemos) disse que a decisão foi "pela competência e não pela inocência". Evair de Melo (PP), vice-líder do governo federal na Câmara, classificou como um "retrocesso inadmissível no combate à corrupção". Felipe Rigoni (PSB) destacou que o legado da Lava Jato deve ser defendido. "Lula não está acima do bem e do mal, tampouco é um salvador da pátria". Soraya Manato (PSL) usou o Instagram para se posicionar e classificou a decisão com apenas uma palavra: "Absurdo".

Nesta segunda-feira, o ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), anulou  todas as condenações impostas pela Justiça Federal do Paraná ao ex-presidente Lula na Operação Lava Jato. A determinação do ministro atende a pedido de habeas corpus apresentado pela defesa do petista em 3 de novembro de 2020. Aplica-se ao triplex do Guarujá, sítio de Atibaia e à sede do Instituto Lula e doações ao Instituto Lula.

Veja na íntegra o posicionamento dos parlamentares capixabas:

Fabiano Contarato (Rede)
“A decisão sobre a nulidade das condenações repõe Lula no páreo em 2022, como favorito: Bolsonaro não vencerá de W.O dessa vez e terá em contraste ao seu mandato trágico e mórbido o legado de prosperidade e esperança da Era Lula. Um meteoro caiu na constelação da política!”

Helder Salomão (PT)
Esta decisão faz justiça ao Lula, mas livra a cara do Moro, que deve responder pelos seus atos, pois a Lava Jato fraudou o processo Judicial e jogou o Brasil no caos. Com certeza, daqui pra frente, haverá grandes mudanças no cenário político e eleitoral brasileiro. Lula no jogo vai influenciar as eleições nacionais com grandes repercussões nos estados.

Marcos do Val (Podemos)
“A decisão foi pela competência e não pela inocência. Faço questão de afirmar que já estou reunido com a minha equipe legislativa e trabalhando para que esse tipo de decisão não seja mais monocrática”.

Evair de Melo (PP)
“A decisão do Fachin é um retrocesso inadmissível no combate à corrupção no Brasil. Isso é o avesso do avesso do avesso. Irresponsável, inconsequente e desconectado do Brasil que sangra por corrupção liderado por seu protegido. Estamos tirando de onde não tem para salvar empresas, empregos e auxílios para todos e o STF brincando de justiça”.

Felipe Rigoni (PSB)
“A Lava Jato é um marco na história do combate à corrupção no Brasil e seu legado deve ser defendido. Lula não está acima do bem e do mal, tampouco é um salvador da pátria. Os poderosos não sairão impunes. Celebram hoje, mas têm encontro marcado com a Justiça amanhã”.

 

 

 


Notícias Relacionadas »
Comentários »
WhatsApp
Atendimento
Fale conosco pelo Whatsapp