03/03/2021 às 13h15min - Atualizada em 04/03/2021 às 00h00min

E-commerces de moda praia crescem durante a pandemia

Rosabecca é um exemplo de e-commerce de moda praia que cresceu durante crise pandêmica causada pela Covid-19. Durante a crise, a marca obteve como estratégia para o crescimento da empresa, a apresentação de seus produtos para modelos e atrizes famosas, bem como anúncios realizados no Facebook e Instagram, com intuito de alcançar o maior número de usuários ativos possíveis.

DINO
http://www.rosabeccabrasil.com.br

A venda on-line de produtos passou por um avanço expressivo durante a pandemia do coronavírus, já que muitas pessoas tiveram de adaptar seus hábitos de consumo em meio às políticas de isolamento social. Mas os números surpreenderam e o valor das vendas em 2020 superou — e muito — o de 2019.

De acordo com pesquisa da Ebit/Nielsen, o faturamento de lojas on-line cresceu 47% no 1º semestre de 2020, em comparação com o mesmo período de 2019. Foi a maior alta do setor em 20 anos. As vendas chegaram a R$ 38,8 bilhões entre janeiro e junho de 2020, contra R$ 26,4 bilhões dos mesmos meses de 2019.

Segundo dados da Tatix, empresa de full commerce que faz gestão de algumas das principais lojas do país, como Pernambucanas, Avon, Payot, Usaflex, Red Bull, Freixenet, Linea, Softys, entre outras gigantes do setor, só em dezembro de 2020 , o aumento no faturamento pelas vendas on-line foi de 765%.

O balanço aponta que 70,42% das vendas aconteceram na região Sudeste do Brasil, 14,4% na região Sul, 8,46% no Centro-Oeste, 4,76% no Nordeste e 1,88% foram destinadas ao Norte do país.

No final do ano de 2020, foram entrevistados pela Kr intermerdiação alguns e-commerces do ramo de moda praia da região sudeste (região que obteve maior numero de vendas on-line em dezembro de 2020), com intuito de analisar o desempenho dessas empresas durante a pandemia.

Dentre as empresas entrevistadas, a marca de moda praia Rosabecca, foi uma das que obtiveram um grande destaque durante a pandemia, pois tornou-se conhecida entre pessoas famosas e influencers por conta dos modelos de biquínis e maiôs de alta costura, que segundo a empresa "fogem do padrão que se encontra na maior parte do mercado".

Foi observado que a empresa supracitada produz produtos com foco de vendas no público feminino, e segundo os dados da Tatix, em relação aos produtos adquiridos pela internet, as mulheres destacam-se como as que mais compraram no último Natal. Foram 59,36% de pedidos feitos por mulheres versus 40,64% de compras realizadas por homens.

A faixa etária que mais consumiu no e-commerce foi a de 25 a 34 anos, grupo que representa 34,40% das vendas. Em seguida, vem os jovens de 18 a 24 anos, totalizando 22,73% do consumo.

Embora a população estivesse de quarentena por conta da COVID-19, Rebecca Schweizer, sócia e diretora da marca Rosabecca informou que as vendas aumentaram em torno de 60%, em comparação ao ano anterior ao início da pandemia e imagina que a aflição dos consumidores em ficarem longos períodos em casa de quarentena, fez com que planejassem viagens para quando acabasse esse período e, consequentemente, fez com que as mulheres procurassem produtos do ramo de moda praia para usarem em suas futuras viagens.

Rebecca Schweizer explica como agiu frente a crise pandêmica: "Apostamos tudo que tínhamos na confecção de modelos únicos e inovadores, pensamos que seria um diferencial sair do "padrão", imaginamos que as pessoas em casa estariam cansadas de ver sempre os mesmos modelos vendendo nas lojas das marcas brasileiras. Sendo assim, criamos todos os nossos modelos com forte inspiração nas tendências internacionais, tentando assim, fugir da concorrência nacional, apresentando produtos mais exclusivos. Além disso, durante a quarentena, algumas celebridades e influenciadoras tiveram interesse em usar as peças da Rosabecca, e foi assim, que a empresa também obteve um maior destaque, pois essas famosas começaram a usar a marca e nos marcar no instagram."

A Rosabecca é uma marca de praia que investe em inovação e antecipação de tendências internacionais em biquínis, maiôs e saídas de praia. A grife surgiu com o propósito de ser uma marca inovadora e com muita personalidade. "Estamos prontos para inovar sempre, com profissionalismo e paixão" diz Rebecca Schweizer.

Segundo o relatório Global Outlook 2021, da Mastercard, boa parte da participação que o e-commerce conquistou durante a pandemia veio realmente para ficar. Segundo o levantamento, a expectativa é que de 20% a 30% das operações que migraram das lojas físicas para o meio digital durante o isolamento social vão ser permanentes quando o surto chegar ao fim.

Segundo o presidente da Mastercard Brasil e Cone Sul, João Pedro Paro Neto, 46% dos brasileiros aumentaram o volume de compras on-line durante a pandemia e 7% realizaram uma compra on-line pela primeira vez.

"O brasileiro é muito receptivo a novas tecnologias. A tendência é que o e-commerce continue crescendo. A adoção pelas gerações mais antigas, a maior conveniência e os custos mais baixos para os consumidores, provavelmente, manterão a demanda digital sólida em 2021", afirmou.

A empresa Rosabecca, seguindo o confirmando o entendimento supramencionado, informou que um dos espaços de maior influência da marca é a rede social. E atualmente, só no Instagram, a marca movimenta cinco milhões de visualizações por semana e que esse número cresce a cada dia mais, pois o brasileiro prefere a comodidade de receber sua compra no conforto de casa.

A marca nasceu e aposta muito no digital, que representa 87% de toda sua receita. E para que isso ocorra, a marca investe 30% da sua receita em marketing, trazendo resultados sólidos e aumentando ainda mais a visibilidade da marca carioca.

A Rosabecca também investe em atendimento e logística, garantindo um atendimento ágil e personalizado para as clientes e entrega super expressa para todo o Brasil. "Hoje você consegue receber a sua Rosabecca no mesmo dia, graças ao nosso sistema logístico super eficiente", Afirmou Rebecca Schweizer.

O sucesso das vendas on-line foi tão grande durante a pandemia que a marca já recebeu 2 propostas de aquisição de empresas do mesmo segmento dentro e fora do Brasil. Porém, de acordo com Rebecca Schweizer, diretora da empresa: "A Rosabecca tem muito ainda para crescer, a nossa equipe é muito profissional e já estamos estudando uma expansão para fora do Brasil também!"

Inclusive, dados do Mastercard Economic Institute apontam que 36% dos entrevistados por eles disseram que vão realizar mais compras on-line do que físicas. Sendo assim, é nítido que o mercado on-line adquiriu muitos adeptos no Brasil durante a pandemia e que sua tendencia é expandir cada dia mais.




Website: http://www.rosabeccabrasil.com.br
Notícias Relacionadas »
Comentários »
WhatsApp
Atendimento
Fale conosco pelo Whatsapp