01/02/2021 às 13h52min - Atualizada em 02/02/2021 às 00h00min

Crescimento acentuado do mercado on-line justifica criação do movimento network do marketing digital

A crescente busca dos consumidores por produtos e serviços on-line, reforçada pela pandemia de Covid-19, revela uma tendência que está revolucionando a economia brasileira. E a cada dia mais empreendedores decidem usar as ferramentas do marketing digital.

DINO
https://marketingdigital.org.br/destravar

Em um cenário completamente novo, consequência da pandemia global que está revolucionando os costumes em todos os campos da atividade humana, surgem iniciativas pioneiras que chegam para dar novo alento ao mundo dos negócios, principalmente àqueles que trafegam pelas vias do marketing digital.

Iniciativa do especialista Edmundo Roveri, o movimento "network do marketing digital" é uma delas. Trata-se de um espaço idealizado para que empreendedores disponham de um ambiente para a troca de informações, conteúdos e outras demandas. E o momento é propício. Estudo recente da consultoria Accenture revela que até 2025 o marketing digital será responsável por mais de 75% dos investimentos do setor.

"Os números crescentes de tráfego e vendas pela internet dão a dimensão do que nos espera no futuro, ou seja, um país cada vez mais conectado, com parte considerável da economia alicerçada no marketing digital", comenta Edmundo Roveri, CEO da plataforma IBVD, criador da comunidade Empreenda com Liberdade e autor de sete livros sobre empreendedorismo digital.

A iniciativa de promover o "network do marketing digital" visa unir interesses de empreendedores que almejam absorver conhecimentos ou profissionais especializados para seus projetos e aqueles que disponibilizam conteúdos, treinamentos e pessoal qualificado. A proposta é promover a interação das seguintes necessidades:
• quem precisa aprender e quem tem condições e conhecimentos para ensinar;
• quem deseja contratar e quem almeja ser contratado;
• quem está disposto a investir e quem necessita de recursos para alavancar seus negócios.

Balanço parcial do e-commerce em 2020 mostra a força do crescente mercado digital, turbinado pelo isolamento social. Na quarentena, a demanda por delivery disparou. Só no terceiro trimestre do ano passado as compras virtuais cresceram 85,1% em relação a igual período de 2019, com 79,2 milhões de pedidos e faturamento de R$ 33,4 bilhões.

Pesquisa da Neotrust a partir dos relatórios de vendas dos marketplaces apurou que o número de pedidos cresceu 76% no período, detectou 5,8 milhões de consumidores estreando nesse canal e constatou a liderança das mulheres no volume de compras virtuais, com 58,8% do total.

Já a SEMrush, líder global em marketing digital, catalogou as 10 lojas virtuais mais acessadas pelos brasileiros de 1º de janeiro a 30 de abril de 2020 e apurou resultados significativos entre as primeiras. A Amazon lidera com 56,5% de crescimento no tráfego, seguida por Magazine Luíza e Mercado Livre, com incremento de 50,5% e 48%, respectivamente.

Em quantidade de visitas, a campeã foi a Americanas.com, que registrou mensalmente 183 milhões de cliques no período pesquisado, ou 37% mais que no mesmo período de 2019. Outro bom resultado foi o da Elo7, que alcançou 87 milhões de visitas mensais, um aumento de 35%.

Se o desempenho dos marketplaces ganha destaque, o que dizer da primeira opção do consumidor para escolher seus fornecedores? O texto do anúncio para o produto Google Ads afirma: "É no Google que as pessoas pesquisam o que fazer, aonde ir e o que comprar".

A Internet Live Stats, ferramenta que apresenta informações em tempo real de acesso à internet em todo o mundo, aponta a hegemonia do Google, que processa mais de 3,5 bilhões de pesquisas por dia, ou 1,2 trilhão por ano, somando 92,51% do mercado de busca.

O Ibope, conhecida empresa de pesquisa, mostra a realidade brasileira do marketing digital. Apurou que 105 milhões de brasileiros utilizam a internet, sendo 92% deles para pesquisar sobre empresas, produtos e serviços antes de comprar, o que corrobora a headline do Google Ads.

E para 2021 espera-se uma expansão de 26% nas vendas pela internet, devendo chegar a um faturamento de R$ 110 bilhões, o que indica a consolidação do e-commerce e dos marketplaces, segundo a EbitNielsen consultoria especializada na mensuração e análise do comércio eletrônico no país.

Assim, como parte da mecânica do network criado por Roveri, os empreendedores vão passar pelo "destravamento digital", que se dará por meio do preenchimento de formulários onde indicarão todos os seus anseios. Ele vislumbra o início de um movimento envolvendo todos aqueles que necessitam do marketing digital para alavancar seus negócios.

"É fundamental entender as mudanças de comportamento dos consumidores nessa nova realidade. O que já vinha evoluindo em ritmo acelerado ganhou ainda mais relevância em 2020, que é o desejo latente das pessoas por experiências em tempo real, que promovam aproximação, mesmo que virtual", pondera Roveri.

Em abril do ano passado, quando notícias vindas da Europa revelavam centenas de mortes na Itália e na Espanha, o medo da pandemia era uma realidade no Brasil, que também já registrava uma linha crescente de casos e de óbitos. Nesse cenário, a cantora sertaneja Marilia Mendonça reuniu em uma live 3,256 milhões de pessoas, o que confirma a tendência da crescente proximidade virtual.

"Qualquer iniciativa de marketing digital deve criar empatia com o consumidor e as alternativas de mídias em tempo real passam a ser preponderantes", opina Roveri. As possibilidades, segundo ele, vão desde lives sobre temas relevantes para o público fiel às marcas, passando por estruturas de inteligência artificial para promover produtos e serviços ou tirar dúvidas de clientes.

Segundo Roveri, a procura crescente por produtos e serviços pela internet evidencia os limites do marketing tradicional e elege o marketing digital como o mais apropriado para atender a essa nova realidade. "Nós empreendedores que já atuamos nesse segmento precisamos criar estruturas para favorecer aqueles que têm um projeto e encontram dificuldade para dar os primeiros passos", comenta.

O espaço de network do marketing digital, explica Roveri, atende a uma demanda crescente não só por conteúdos que apontem caminhos para a gestão dos projetos como também por oportunidades diversas, com potencialidade de suprir e contemplar todos os envolvidos nesse amplo mercado.

Mais informações: https://marketingdigital.org.br/destravar



Website: https://marketingdigital.org.br/destravar
Notícias Relacionadas »
Comentários »
WhatsApp
Atendimento
Fale conosco pelo Whatsapp