28/01/2021 às 14h22min - Atualizada em 29/01/2021 às 00h00min

Piscinão de Ramos completa 20 anos em 2021 e quer celebrar sua história

Praia artificial no Complexo da Maré celebra seu 20º aniversário em 2021, mais relevante do que nunca

DINO
https://piscinaoderamos.com/

Foi em 2001 que o Parque Ambiental da Praia de Ramos Carlos de Oliveira Dicró (na época, sem esse nome) foi inaugurado. Desde então, o Piscinão de Ramos se tornou um dos centros culturais mais importantes do Rio de Janeiro, com presença sem igual em novelas, músicas e na vida da cidade.

Agora em dezembro de 2020, o Piscinão de Ramos celebra o seu 19º aniversário, mas já pensa na festa do ano que vem. Afinal, será em 2021 que o Piscinão comemorará a sua segunda década completa, não só pensando nas novidades que virão para o próximo ano, mas relembrando a sua relevância nesses vinte anos de existência.

O Piscinão de Ramos começou a ser construído em 2000 e foi inaugurado apenas em dezembro de 2001. No entanto, inicialmente, o Piscinão nem era para existir. Na época, o objetivo do trabalho era o de despoluir a Praia de Ramos, que fica logo ao lado do Piscinão.

Antigamente, a Praia de Ramos era a opção de balneabilidade para os moradores do Complexo da Maré, mas a qualidade da sua água ficou insalubre depois de anos recebendo dejetos vindos da Baía de Guanabara. Por sua vez, a Baía de Guanabara recebe 15 mil litros de esgoto não tratado por segundo, de acordo com estudo publicado no livro Baía de Guanabara, da autora Eliane Canedo de Freitas Pinheiro.

O primeiro estudo do projeto elaborou uma ação ousada: fechar a conexão entre a Praia de Ramos e a Baía de Guanabara, permitindo assim que a limpeza fosse feita e a população pudesse voltar a usufruir daquela região.

No entanto, como o espelho d’água da Baía de Guanabara é um patrimônio tombado e não pode ser modificado, essa obra não poderia ser realizada. A solução, então, foi a criação de uma praia artificial ali na região, garantindo a possibilidade de balneabilidade para os moradores.

O projeto, entretanto, não correu com a maior tranquilidade. Pelo contrário: o Piscinão de Ramos apresentou uma série de dificuldades técnicas significativas para o time designado para construí-lo.

O primeiro desses desafios foi o fato de que a praia artificial precisava ter um fundo de areia. Até hoje, aliás, nenhum outro projeto do tipo foi capaz de trabalhar com um fundo de areia. Isso porque a limpeza da praia artificial com um fundo de areia necessita de alguns cuidados especiais.

Por isso, o time por trás do Piscinão de Ramos acabou desenvolvendo um sistema de limpeza inovador, que retira a água da Baía de Guanabara e a envia para tanques especiais.

Lá, a água é tratada por flotação para eliminar todos os resíduos sólidos e flocos de sujeira. Posteriormente, ela é desinfetada e tratada com cloro. Quando sai do sistema de tratamento para o Piscinão, a água é uma das melhores do estado do Rio de Janeiro.

Dentro do Piscinão, a água flui por um caminho específico até voltar ao sistema de tratamento onde será novamente tratada, terá o cloro evaporado e será devolvida à Baía de Guanabara limpa. No meio desse caminho, ela passa por várias miniestações de tratamento dentro do próprio Piscinão de Ramos para se manter limpa e desinfetada.

Para finalizar, a equipe que montou o Piscinão de Ramos ainda instalou uma manta de um material especial por baixo da camada de areia da praia artificial. O objetivo dessa manta, além de acomodar os 30 milhões de litros de água do Piscinão, é evitar que a poluição da Baía de Guanabara chegue até à praia artificial via lençóis freáticos.

Depois de superado o desafio do sistema de água e do fundo de areia, o Piscinão finalmente saiu do papel. De lá para cá, ele se tornou um símbolo da cultura carioca, eternizado em várias novelas e projetos.

Um exemplo dessa influência foi a famosa Odete Santos, vivida pela inesquecível Mara Manzan, na novela O Clone. Foi ela que cunhou um dos principais bordões do Piscinão de Ramos: "cada mergulho é um flash!".

Além da novela, o Piscinão também foi homenageado no álbum Dicró no Piscinão, um dos maiores mestres do samba carioca. Dicró, aliás, era um dos maiores promotores do Piscinão de Ramos. Presença frequente por lá, ele chegou a ganhar a alcunha de "Prefeito do Piscinão" ou "Síndico do Piscinão".

Foi no Piscinão de Ramos que várias modas e tendências da vida no Brasil surgiram. Quem se esquece do famoso biquíni de fita adesiva, popularizado pela Anitta no clipe de "Vai, Malandra"? É criação do Piscinão.

Recentemente a cantora foi vista gravando um novo clipe no Piscinão de Ramos. Isso significa que a praia artificial voltará aos holofotes em 2021, bem a tempo de celebrar seu aniversário de 20 anos de idade.



Website: https://piscinaoderamos.com/
Notícias Relacionadas »
Comentários »
WhatsApp
Atendimento
Fale conosco pelo Whatsapp