20/01/2021 às 09h27min - Atualizada em 20/01/2021 às 10h20min

Adaptar-se ou morrer: por que agilidade importa tanto para startups?

Um exemplo de adaptação ao cenário da COVID-19, a 4.events reinventou o seu modelo de negócio garantindo não apenas a sobrevivência mas principalmente a inovação. Como resultado, no dia 11 de janeiro de 2020, a empresa entrou em rodada de investimento crowdfunding pela captable.

DINO
https://captable.com.br/projects/4events/?promo=atZjNmdFV

Saber quando o negócio precisa de uma mudança é essencial para qualquer empresa. Mas, ainda mais no caso das startups, a velocidade também importa. Empresas tradicionais têm à sua disposição caixa suficiente para cometer erros, enfrentar crises e se mover mais lentamente. O mesmo, geralmente, não é verdade para startups. Isso, no entanto, não é algo negativo: startups são mais ágeis, eficientes e flexíveis - mesmo que por pura necessidade.

Um dos grandes sinais positivos da maturidade de uma startup é o que se chama de pivotar, no vocabulário startupeiro. Pivotar, nada mais é do que mudar o modelo de negócio. Parece simples, mas não é, em grandes empresas, letárgicas e engessadas por seu tamanho, mudar o modelo de negócio não é uma decisão viável em semanas ou meses. Muitas startups, no entanto, passam por esse processo, seja por estarem testando qual modelo funciona para seu negócio, por alguma oportunidade nova que surgiu no mercado ou por condições de mercado, como crises econômicas.

A pandemia foi um grande catalisador desse movimento, inúmeras startups - e até mesmo empresas tradicionais - precisaram se adaptar a uma nova realidade de forma muito rápida. Algumas mudanças que eram previstas para levar anos tornaram-se realidade em poucos meses. As startups, como característico em empresas menores, foram mais rápidas em se adaptar e aproveitar oportunidades de crescimento que surgiram no período.

Um dos setores que se viu em apuros foi o de eventos. Planejar um evento, conferência ou feira de negócios e realizá-lo on-line se mostrou mais difícil do que fazer uma reunião virtual pelo Zoom ou transmitir um webinar no YouTube. Também, pudera, os eventos corporativos, conferências e feiras de negócio dependem de um elemento humano que ainda se mostra complicado de levar para o ambiente on-line: o networking.

Além do networking, outros desafios impostos pela virtualização dos eventos foram sendo percebidos aos poucos pelos organizadores de eventos: a experiência de estandes, a proximidade do contato físico, administrar a venda de ingressos, possibilitar sorteios e perguntas, entre outras características dos eventos presenciais. Com tudo isso, uma oportunidade surgiu: uma plataforma que pudesse juntar todas essas dificuldades e oferecer diversos serviços que resolvessem cada uma delas. Seria possível?

A 4.events, uma startup que era majoritariamente focada em eventos presenciais, mudou seu foco já em fevereiro de 2020, prevendo que a pandemia iria impactar seu modelo de negócio de forma expressiva. Com isso, lançou uma plataforma omnichannel, atendendo a uma multitude de necessidades dos organizadores de eventos, que buscavam justamente uma solução que pudesse resolver diferentes problemas que encontravam na organização e operacionalização dos seus eventos on-line.

A estratégia deu muito certo: apesar da queda de faturamento no início da pandemia, a startup logo pivotou seu modelo e viu seus números voltarem a subir, estando hoje num patamar saudável e tendo aprendido com tudo que teve de enfrentar na crise. A 4.events também passou a operar com modelo de assinatura, permitindo maior previsibilidade de receita, atraindo eventos com valores de tickets maiores e com isso, o faturamento do ano de 2020 quase alcançou o de 2019.

Mesmo com o retorno dos eventos presenciais, a startup continua podendo oferecer seus produtos virtuais para que esses eventos sejam amplificados, atingindo públicos antes impedidos de participar. Além de continuar atendendo eventos físicos e possibilitando a oferta de produtos self-service, ou seja, o organizador pode escolher quais soluções atendem às suas necessidades.

Com a mudança de foco e o crescimento da startup, a 4.events hoje busca ampliar seu time, investir em tecnologia e acelerar sua internacionalização. Por isso, a 4.events está disponível para investimento através da plataforma de investimentos coletivos da CapTable, a oferta completa pode ser encontrada aqui. A oferta atingiu a marca de R$300 mil reservados em apenas 24h e já está com mais de 36% do valor captado.



Website: https://captable.com.br/projects/4events/?promo=atZjNmdFV
Notícias Relacionadas »
Comentários »
WhatsApp
Atendimento
Fale conosco pelo Whatsapp