09/06/2015 às 07h47min - Atualizada em 09/06/2015 às 07h47min

Mais de 220 toneladas de mercadorias ilegais são apreendidas no Porto de Vitória

Foram apreendidos brinquedos, caixas de chás, alimentos já manuseados, como embalagens com sobras de óleo e feijão, além de dois veículos

Gazeta Online

Mais de 220 toneladas de produtos diversos, insumos industriais e até mesmo veículos, com documentação inadequada, foram apreendidos pela Alfândega da Receita Federal do Brasil do Porto de Vitória entre os meses de março e maio deste ano.

Segundo o inspetor-chefe, Flávio José Passos Coelho, nas apreensões de maio, dois veículos em contêineres separados foram detectados durante operação no porto: um automóvel de passeio e um caminhão frigorífico com capacidade para quatro toneladas. Os veículos ficarão apreendidos porque além de não terem a documentação correta, também é proibido importar carro usado da Europa, local de origem da mercadoria.

Além disso, entre os materiais apreendidos, foram encontrados em um contêiner oriundo da Europa e com destino ao Paraguai, várias mercadorias enviadas para pessoas físicas como alimentos já manuseados, embalagens com sobras de óleo e feijão, que evidentemente ficaram inapropriados para consumo em razão das condições de armazenamento e do tempo de deslocamento entre a origem e a destinação.

Brinquedos de crianças que estavam com o selo do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) também foram apreendidos, por não terem sido produzidos no Brasil e por estarem sendo encaminhados para o Paraguai.

Em março, também foram apreendidos sete contêineres repletos de caixas de chá. "Contamos com a atuação das duplas K-9, do Centro Nacional de Cães de Faro da RFB, para rastrear a possibilidade de haver tráfico de entorpecentes no meio da carga irregular", relata o Inspetor-chefe . A suspeita, porém, não foi confirmada.

Entretanto, Coelho alerta que as pessoas podem fazer um teste enviando mercadorias e até contêiner vazio para ver se conseguem passar pelos portos até chegar o destino final sem serem embarreirados. Se houver êxito na ação, é capaz de tentarem enviar entorpecentes e outros objetos ilegais.

Todas as mercadorias apreendidas serão analisadas. Os produtos originais serão leiloados ou então doados para entidades filantrópicas. O que for ilegal será destruído, segundo o inspetor-chefe Flávio José Passos Coelho.

Notícias Relacionadas »
Comentários »
WhatsApp
Atendimento
Fale conosco pelo Whatsapp