02/06/2015 às 07h54min - Atualizada em 02/06/2015 às 07h54min

Confira a relação das 20 empresas mais reclamadas no Procon do Espírito Santo

No ranking de fornecedores, é possível identificá-los por seus nomes fantasias, razões sociais, logomarcas, grupos econômicos a que pertencem e outros dados

Folha Vitória

O Procon do Espírito Santo divulgou o Cadastro de Reclamações Fundamentadas do Espírito Santo 2014, relativo ao período de janeiro a dezembro de 2014. Os fornecedores que lideram a lista são as empresas Oi/Telemar, seguida pela Dadalto e D&D e Eletrocity.

No ranking de fornecedores, é possível identificá-los por seus nomes fantasias, razões sociais, logomarcas, grupos econômicos a que pertencem e outros dados, englobando grandes e pequenas empresas nacionais e estaduais. 

Após a publicação do Cadastro de Reclamações Fundamentadas 2014, pelos Procons do Brasil, integrados ao Sistema Nacional de Informações de Defesa do Consumidor (Sindec), do Ministério da Justiça, o Procon-ES compilou as reclamações dos Procons do Espírito Santo em um documento que apresenta o ranking das 20 empresas mais reclamadas e por área de atuação (financeiras, saúde, varejistas, telecomunicações, dentre outras). É possível consultar também, as principais queixas que chegaram aos órgãos de defesa do consumidor e o ranking das empresas que menos atenderam os consumidores. 

“Desejamos que as informações divulgadas por meio deste documento possam contribuir para o aprimoramento das relações de consumo e que ele possa servir como um instrumento de informação e consciência do consumidor capixaba para suas escolhas e decisões no mercado de consumo, em busca do respeito às normas de defesa do consumidor”, informa o diretor do Procon Estadual, Igor Britto.

O Cadastro Estadual de Reclamações Fundamentadas do Espírito Santo 2014 conta com 17.110 Reclamações Administrativas registradas nos Procons Estadual e Municipais. Estas reclamações correspondem a processos administrativos analisados e concluídos pelos órgãos, no período de janeiro a dezembro de 2014 e que apresentam algum indicativo de lesão ou ameaça aos direitos dos consumidores. O documento informa, ainda, se os processos administrativos formulados a partir de reclamações foram ou não atendidos pelas empresas.

Além da  Oi/Telemar, Dadalto e D&D e Eletrocity, Claro e Embratel e Vivo, aparecem na lista.  Em sexto lugar está a Ricardo Eletro; em sétimo o Bradesco; seguido das Casas Bahia e Ponto Frio; CCE, Digibras e Lenovo e em décimo lugar está a GVT. Em décimo primeiro lugar no ranking está a Caixa Econômica Federal; seguida do Itaú; BV Financeira e Votorantim; Samsung; Sipolatti; Escelsa; BMG; Santander; Cartão Avista e em vigésimo lugar está a Palladium.

Mais importante do que saber as empresas que mais possuem queixas nos Procons é conhecer aquelas que menos atendem as reclamações dos consumidores. Nesta lista, ocupa o primeiro lugar do ranking a BV Financeira e Votorantim; seguida da GVT; Samsung; Santander; e Itaú em quinto lugar. Ocupa o sexto lugar no ranking a Ricardo Eletro; seguida da Palladium; Sipolatti; Cartão Avista e em décimo a CCE, Digibras e Lenovo. Em décimo primeiro lugar está a BMG; depois, Claro e Embratel; Eletrocity; Dadalto e D&D; Ponto Frio e Casas Bahia; Bradesco; Vivo; Caixa Econômica Federal; Oi/Telemar e em vigésimo lugar está a Escelsa.

Igor Britto explica, ainda, que o ranking é como se fosse o “SPC das Empresas”. “O objetivo da publicação é permitir à sociedade o acesso a informações sobre os fornecedores mais reclamados nos Procons do Espírito Santo e os principais problemas apresentados, de forma a orientar o consumidor na escolha de empresas para se relacionar. Acreditamos que o maior poder de transformação do mercado está no consumidor bem informado, que prefere as empresas que respeitam os seus direitos”, diz.

A divulgação do Cadastro de Reclamações Fundamentadas decorre de determinação do artigo 5º da Constituição Federal e do artigo 44 do Código de Proteção e Defesa do Consumidor, devendo ser divulgado publicamente no período máximo de um ano.


Notícias Relacionadas »
Comentários »
WhatsApp
Atendimento
Fale conosco pelo Whatsapp