26/02/2015 às 07h59min - Atualizada em 26/02/2015 às 07h59min

Quota mensal dos royalties caem em fevereiro, a perda chega a 13,5%

A média mensal de perda dos royalties em fevereiro é de 8%

Por Fábio Jordão
Tabela de 20 municípios chamados de petrorrentistas. Imagem: Prefeitura de São João da Barra/Divulgação

As quotas mensais a serem depositadas amanhã aos municípios que recebem royalties de petróleo como produtores, terão um percentual de redução em relação ao mês de janeiro, esse percentual varia, conforme o município entre 1,9% (caso de Búzios no Rio de Janeiro) a 13,5% (caso de Presidente Kennedy).

Em relação a fevereiro do ano passado o percentual de redução é bem maior e varia entre 10% a 46,4% como é o caso de Casimiro de Abreu-RJ.

Os valores que Presidente Kennedy receberá amanhã giram em torno de R$ 10,7 milhões, uma perda de 10% se comparado a fevereiro do ano passado.

No caso do município de Campos dos Goytacazes-RJ, o município que recebe a maior quota dos royalties no Brasil, a perda em relação a janeiro último é de 9,6% e, em relação a janeiro do ano passado a redução na quota de janeiro é de 37,3%. A quota que o município de Campos receberá amanhã será de R$ 36,3 milhões.

Já para Macaé-RJ, a perda em relação a janeiro deste ano foi de 9,6%, igual à de Campos. E, em relação a fevereiro do ano passado de 31,4%. A quota de fevereiro a que Macaé terá direito é de R$ 29,8 milhões.

No caso de São João da Barra-RJ, a perda em relação ao mês de janeiro é de 4,9% (praticamente a metade da perda de Campos) e de 28,7% em relação a fevereiro de 2014. A quota de janeiro de São João da Barra é de R$ 8,1 milhões.

Os dados são originados pela Agência nacional de Petróleo (ANP) e foram tabulados pelo superintendente de Petróleo, Gás e Tecnologia da Prefeitura de São João da Barra, Wellington Abreu.

Abreu é encarregado de fazer o estudo de receitas e impactos orçamentários e diz que, "o ano 2015 começa a demonstrar a ponta do iceberg que 2014 colidiu. A ordem é replanejar e administrar com precaução e contingenciamento em todas as áreas. Aprender para um dia vivermos sem os royalties que um dia não haverá mais. Isso já era esperado e vem mais queda para o mês que vem."

Dessa forma, prossegue a discussão sobre o melhor uso destes recursos, que mesmo em menor volume é ainda bastante generoso considerando a realidade da maioria dos 5,7 mil municípios brasileiros.

Fábio Jordão

Fábio Jordão

Capixaba, formado em técnico em informática pelo Ifes, formado em Engenharia de Produção pela Faculdade Multivix

Relacionadas »
Comentários »
WhatsApp
Atendimento
Fale conosco pelo Whatsapp